Células cerebrais recém-descobertas explicam um efeito pró-social da oxitocina

A oxitocina, o hormônio do amor, ajuda os casais a se apaixonarem, vincula suas mães com seus bebês e incentiva equipes a trabalharem juntas. Agora uma nova pesquisa da Universidade de Rockefeller, revela um mecanismo pelo qual esse hormônio pró-social tem efeito sobre as interações entre os sexos, pelo menos em determinadas situações. A chave, ao que parece, é uma classe recém-descoberta de células cerebrais.
Leia mais