A testosterona pode reduzir o risco de ataque cardíaco em homens com doença arterial coronária

No ano passado, a Food and Drug Administration requisitou os fabricantes de produtos de testosterona para que adicionem nova advertência nos rótulos sobre um possível aumento do risco de ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Um novo estudo sugere que isto pode ser desnecessário e prejudicial para alguns homens. A terapia com testosterona, ou terapia T, ajudou homens com doença arterial coronária pré-existente a reduzir os riscos de AVC, ataques cardíacos e até mesmo a morte.   Na verdade, os homens que não receberam testosterona como parte de seu tratamento ficaram 80% mais propensos a sofrer um evento adverso, como um ataque cardíaco, em comparação com aqueles sob a terapia T.   A testosterona é um hormônio sexual comumente pensado para regular o impulso sexual, massa óssea, distribuição de gordura, massa muscular e força, e a ser responsável pela produção de esperma e de células vermelhas do sangue nos homens. Enquanto os homens envelhecem, a produção de testosterona geralmente cai a uma taxa de cerca de 1 a 2% ao ano. Um homem de 70 anos pode possuir a metade da testosterona que possuía aos 20.   Embora isso possa ser normal, alguns homens sentem os efeitos mais fortemente do que outros. Níveis baixos de testosterona podem contribuir para a depressão, diminuição da densidade óssea, aumento da gordura corporal, insônia e diminuição do desejo sexual. Por estas razões, alguns médicos prescrevem a terapia T aos seus pacientes que apresentam declínio hormonal relacionado com a idade. Enquanto que a prescrição de testosterona é aprovada pelo FDA, a agência apenas sanciona o seu uso para os homens que têm baixos níveis de ‘T’ devido a distúrbios que causam o hipogonadismo, que é quando o corpo não produz quantidade suficiente do hormônio. O FDA diz que os benefícios e segurança do uso de T para tratar baixos níveis relacionados com a idade não foram estabelecidos.   No entanto, um estudo anterior do Intermountain Medical Center explorou os efeitos da suplementação de T em homens sem história prévia de doença cardíaca e concluíram que os efeitos não aumentaram o risco de AVC ou ataque cardíaco. Agora, um estudo investigou possíveis riscos no uso da terapia T entre os homens com doenças cardíacas.   Especificamente, os pesquisadores trabalharam com 755 pacientes, entre as idades de 58 e 78, em hospitais da rede de saúde Intermountain Healthcare. Todos sofriam de doença arterial coronariana grave. Os participantes foram divididos em três grupos distintos e receberam ou uma dose média de testosterona (administrada por injeção ou gel), ou uma alta dose de testosterona, ou nada .   Após um ano, 64 pacientes que não suplementavam com testosterona sofreram grande evento cardiovascular adverso, relatam os pesquisadores. Em comparação, apenas 12 dos homens que tomavam doses médias de testosterona e nove que tomavam doses altas sofreram um` evento similar. Após três anos, 125 pacientes que não receberam testosterona sofreram grandes eventos, enquanto que apenas 38 do grupo média dose, e 22 do grupo alta dose sofreram o mesmo.   Como sendo considerado um pequeno estudo e observacional, ele não fornece evidência científica suficiente para o FDA mudar suas diretrizes. Ainda assim, os resultados indicam que a reposição hormonal pode proteger os homens com baixos níveis de testosterona contra a doença arterial coronária. À luz disto, os pesquisadores dizem que um ensaio clínico randomizado é necessário para confirmar ou refutar esses novos resultados.  
Fonte: http://www.medicaldaily.com/testosterone-shotsheart-attack-risk-coronary-artery-disease-381236  
“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.” 
Leia mais