De acordo com uma nova pesquisa publicada no American Journal of Physiology – Heart e Circulatory Physiology, o exercício intervalado, baseado em resistência, ajuda a melhorar a função endotelial – incluindo o fluxo sanguíneo e dilatação dos vasos sanguíneos – tanto em adultos mais velhos com diabetes tipo 2 quanto em pessoas de mesma idade que não se exercitam e pessoas que se exercitam regularmente. Os resultados sugerem que os treinos com exercício intervalado – cada vez mais populares – poderiam ser usados para tratar a disfunção endotelial em adultos mais velhos.

 

“O endotélio desempenha um papel fundamental, regulando os muitos fatores que determinam a perfusão tecidual, coagulação e inflamação vascular. A disfunção endotelial é uma manifestação precoce em muitas doenças crônicas, incluindo diabetes, e contribui para o risco (aproximadamente de duas a quatro vezes maior) de doença cardiovascular em pessoas com diabetes tipo 2”, escreveram os pesquisadores. Para os estimados 28 milhões de pessoas com diabetes tipo 2 nos Estados Unidos, problemas endoteliais podem prejudicar o fluxo sanguíneo e levar a danos nos nervos e outras complicações.

 

O treinamento intervalado alterna períodos de exercícios de alta e baixa intensidade. Muitas pessoas acham este tipo de treino atraente por causa do relativamente curto tempo necessário e seus períodos de descanso. Neste estudo, os pesquisadores compararam o treino de resistência intervalado (usando exercícios de perna com peso) e cardiovascular (usando uma bicicleta estacionária) para ver como os regimes de exercício afetam a função endotelial. Trinta e cinco voluntários (idade média de 56 anos) foram designados para três grupos: pessoas com diabetes tipo 2 (DT2), sedentárias sem diabetes e pessoas que se exercitavam sem diabetes. Cada grupo realizou o mesmo regime de exercícios de 20 minutos: três minutos de aquecimento; sete exercícios intervalados de 1 minuto (resistência ou cárdio) com descanso de 1 minuto entre eles; três minutos de resfriamento. Os pesquisadores mediram o fluxo sanguíneo na artéria braquial (parte superior do braço) antes e imediatamente após o treino, 1 e 2 horas após o exercício.

 

Os pesquisadores descobriram que todas as pessoas – com ou sem diabetes – viram uma melhora na dilatação mediada pelo fluxo (FMD, uma medida da função endotelial) após o treinamento intervalado baseado em resistência. Isto foi especialmente verdadeiro no grupo DT2, que experimentou melhora da FMD em cada período de medição. O treino cardiovascular levou a mudanças na FMD após uma hora no grupo DT2 e após duas horas no grupo de exercício regular.

 

“Este estudo mostra que o exercício intervalado baseado em resistência é um método eficaz para melhorar a função endotelial em pessoas com ou sem diabetes tipo 2”, escreveram os pesquisadores.

 

O artigo “Resistance-Based Interval Exercise Acutely Improves Endothelial Function in Type 2 Diabetes” foi publicado em American Journal of Physiology – Heart and Circulatory Physiology.

 

Fisiologia é o estudo de como as moléculas, células, tecidos e órgãos funcionam na saúde e na doença. Fundada em 1887, a American Physiological Society (APS) foi a primeira associação dos EUA no campo das ciências biomédicas e hoje representa mais de 11.000 membros e publica 14 periódicos (de estudos revisados por pares) para um público mundial.

 

Traduzido por Essentia Pharma

 

Fonte:http://www.newswise.com/articles/interval-exercise-training-improves-blood-vessel-function-in-older-adults

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”