Um estudo executado no Japão e recentemente publicado em Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology adiciona aos resultados de pesquisas anteriores sobre as propriedades positivas do ácido hialurônico para a pele.

 

O ácido hialurônico (AH) é um componente corporal presente em cada órgão e tecido conjuntivo, como pele, líquido sinovial, vasos sanguíneos, plasma, cérebro, cartilagem, válvulas cardíacas e cordão umbilical. Em particular, a pele possui a maior quantidade de AH no corpo – 50% de sua presença corporal.

 

As rugas da pele são formadas sob a influência de vários fatores, como envelhecimento, luz ultravioleta (UV) e secura. Em particular, a degradação do colágeno e AH pelo dano UV causa rugas, e, portanto, a presença de ambos na pele é considerada essencial para a uma aparência saudável. Adicionalmente, a quantidade de AH na pele gradualmente diminui devido ao envelhecimento natural. Por exemplo, uma pessoa de 75 anos tem apenas um quarto da quantidade de AH em sua pele em comparação com uma pessoa de 19 anos.

 

 

Anteriormente, dois ensaios clínicos de AH oral como suplemento foram realizados. Kim e colegas trataram 52 coreanas com idade superior a 30 anos que apresentavam rugas do tipo popularmente conhecido como “pés de galinha” (grupo placebo n = 26, grupo AH n = 26) com AH de peso molecular (MW) 75 k, sob dose de 240 mg/dia durante 8 semanas. O grupo AH apresentou significativamente menos rugas quando comparadas com o grupo placebo (p <0,05).

 

Watanabe e colegas trataram 28 japonesas com idade entre 30 e 49 anos que apresentavam rugas do tipo pés de galinha (grupo placebo n = 14, grupo AH n = 14) com AH (MW, 38 k, 240 mg/dia) durante 8 semanas. O grupo AH apresentou uma diminuição significativa da profundidade média da rugosidade máxima em comparação com o grupo placebo (p <0,01).

 

Pesquisas investigam se o efeito antirrugas do AH oral é diferente dependendo do seu MW ou dose. No entanto, sabe-se que a sua biodisponibilidade difere dependendo do seu peso molecular. Hisada e colegas relataram que o peso molecular mais baixo de AH indica uma maior permeabilidade através de monocamadas de células Caco-2.

 

Assim, o estudo presente avaliou, sob design duplo-cego e controlado por placebo, os efeitos antirrugas e MW da ingestão oral de AH (MW, 2k e 300k, 120 mg/dia) durante 12 semanas em 60 indivíduos japoneses do sexo masculino e feminino (22 a 59 anos). Ambos os tipos de hialurônico (MW, 2k e 300k) são compostos de sequências de dissacarídeos simples (ácido d-glucurônico e dN-acetilglucosamina, conectados através de ligações de β-1,4 e β-1,3-glicosídicas alternadas). AH 2 k é um pouco mais solúvel do que HA 300 k.

 

Três análises tridimensionais da pele dos participantes indicaram que os grupos de AH mostraram um melhor nível nos sulcos em relação ao volume, bem como melhores relações da área e volume das rugas, em comparação com o grupo placebo. A melhora do brilho da pele ocorreu em ambos os grupos AH, no entanto, somente o grupo 300k mostrou significante redução das rugas em comparação ao placebo.

 

O estudo clínico foi executado sob os princípios éticos de pesquisa da Declaração de Helsinki e financiado pela empresa produtora do ácido hialurônico utilizado na presente investigação, Kewpie Corporation.

 

Referência:

Oe M, et al. Oral hyaluronan relieves wrinkles: a double-blinded, placebo-controlled study over a 12-week period. Clinical, Cosmetic and

Investigational Dermatology, 2017. Doi:10.2147/CCID.S141845

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”