Um novo relatório confirma a crescente literatura de evidências que afirma que estamos ficando sem antibióticos que possam combater a crescente ameaça de bactérias resistentes a drogas. Com o título “Antibacterial agents in clinical development – an analysis of the antibacterial clinical development pipeline, including Mycobacterium tuberculosis” (tradução livre, Agentes antibacterianos em desenvolvimento clínico – uma análise do andamento do desenvolvimento clínico antibacteriano, incluindo a Mycobacterium tuberculosis), o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) – número de referência: WHO/EMP/IAU/2017.11 – pede ao setor de medicamentos e cientistas que deem prioridade à pesquisa de alternativas aos antibióticos atuais.

 

O relatório mostra uma séria falta de novos antibióticos em desenvolvimento para combater a crescente ameaça de resistência antimicrobiana. A maioria das drogas atualmente em desenvolvimento clínico são modificações de classes existentes de antibióticos, funcionando apenas como soluções de curto prazo. O relatório encontrou poucas opções de tratamento potenciais para as infecções resistentes a antibióticos, identificadas pela OMS como sendo a maior ameaça para a saúde, incluindo a tuberculose resistente a medicamentos que mata cerca de 250 mil pessoas por ano.

 

Além da tuberculose multirresistente, a OMS identificou 12 classes de agentes patogênicos prioritários – alguns deles causando infecções comuns, como pneumonia ou infecções do trato urinário – que são cada vez mais resistentes aos antibióticos existentes e urgentemente precisam de novos tratamentos.

 

 

Traduzido por Essentia Pharma

 

Relatório na íntegra:

http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/258965/1/WHO-EMP-IAU-2017.11-eng.pdf?ua=1

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”