Há alguns anos vimos reportando achados de estudos quanto aos potenciais benefícios da suplementação do resveratrol. São estudos bem projetados e publicados em periódicos de renome que apontam aplicações do polifenol em condições complexas como a doença de Alzheimer, câncer, doença cardíaca, densidade óssea da coluna vertebral, desequilíbrio hormonal durante a síndrome do ovário policístico, e mesmo fornecendo benefícios diversos para a qualidade de vida. Pesquisas continuam a estudar seus mecanismos de ação e adicionar possíveis propriedades a este antioxidante encontrado naturalmente em alimentos como uvas e amendoim, em resposta da planta a estresses bióticos (reação a microrganismos ou animais, por exemplo) e abióticos (pouca ou muita água, radiação, alta ou baixa temperatura). Recentemente, estudo publicado em Journal of Ophthalmology trouxe evidência do seu possível papel na proteção aos olhos.

 

Pesquisadores chineses confirmaram a presença de resveratrol na conjuntiva, e que seus metabólitos foram detectados não somente na estrutura exterior (conjuntiva), mas também na estrutura interior (humor aquoso e vítreo) dos olhos de humanos.

 

Muito importante sobre esta pesquisa foi a evidência apresentada que o resveratrol possui a habilidade de cruzar a barreira semipermeável sangue-cérebro e barreira sangue-ocular. Essas barreiras restringem acesso a várias substâncias possivelmente tóxicas, mas permitem o acesso do resveratrol e seus metabólitos, sugerindo então serem importantes para a função ocular e/ou neural.

 

O estudo incluiu 20 homens e 15 mulheres (idades 20 a 74) que estavam sob processo de cirurgia dos olhos (descolamento de retina). Eles receberam um suplemento com 100mg de trans-resveratrol, ou seja, a forma ativa do resveratrol. Conforme estudos anteriores, como função sinérgica na mediação para a melhor biodisponibilidade do resveratrol, foi adicionado ao suplemento 25mg de quercetina estabilizada, 1000 IU de vitamina D3, 75mg de farelo de arroz e 10mg de nucleotídeos (para reparação do DNA). Cada participante tomou uma dose pela manhã cedo, totalizando somente três doses (3 manhãs) antes da cirurgia e, portanto, do recolhimento do tecido.

 

As concentrações de resveratrol e seus metabólitos mostraram variabilidade intra e interindividual. Claramente foi observado que o tamanho e volume dos tecidos, além do intervalo de tempo para a obtenção das amostras, influenciaram essas variações. A concentração média de resveratrol na conjuntiva foi de 17,19 nmol/g, enquanto que as concentrações de seus metabólitos no humor aquoso puderam ser detectados (próximos ao limite de detecção), e no humor vítreo a concentração média de resveratrol-3-O-sulfato foi de 62,95 nmol/L.

 

Conforme o estudo, este resultado poderia fornecer suporte experimental para o tratamento de doenças de superfície ocular:

“Parece claro que o resveratrol poderia participar no tratamento de várias doenças oculares como glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA), degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e retinopatia diabética (RD)”.

 

Traduzido por Essentia Pharma

Estudo: Wang S, et al. Tissue Distribution on trans-Resveratrol and its Metabolites after Oral Administration in Human Eyes. Journal of Ophthalmology, 2017. DOI: 10.1155/2017/4052094

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”