Aumento de potássio na dieta pode baixar a pressão arterial

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o principal fator de risco para doenças, especificamente a doença cardiovascular, é a pressão arterial elevada. Um estudo publicado em American Journal of Physiology – Endocrinology and Metabolism sugere que comer alimentos ricos em potássio, como batata doce, abacate, espinafre, feijão e banana, pode ajudar a baixar a pressão arterial. "Diminuir a ingestão de sódio (Na+) é uma forma bem estabelecida para baixar a pressão arterial, mas a evidência sugere que o aumento do potássio (K+) na dieta pode ter um efeito igualmente importante sobre a hipertensão", afirma Alicia McDonough, professora de células e neurobiologia da Keck School of Medicine da Universidade do Sul da Califórnia (USC) e uma das coautoras do estudo.   O estudo – que atuou como uma pequena revisão literária – analisou população, intervenções e estudos de mecanismo molecular, e explorou a associação entre a pressão arterial e o sódio, e entre a relação e proporção de potássio e sódio. Foram encontrados vários estudos demográficos demonstrando que o maior consumo de potássio dietético (estimado a partir da excreção urinária ou recall dietético) foi associado com uma menor pressão arterial, independentemente da ingestão de sódio. Estudos intervencionistas com suplementação de potássio também sugeriram seu benefício direto.   Entre os estudos recentes em modelos de roedores de vários laboratórios, os quais ilustraram os mecanismos benéficos do potássio, foi concluído que o corpo faz um ato de equilíbrio, utilizando-se do sódio para manter o estreito controle dos níveis de potássio no sangue –fundamental para a função do coração, nervo e músculos. "Quando o nível de potássio apresenta-se alto, os rins excretam mais sal e água, aumentando a excreção de potássio. Ter uma dieta rica em potássio é como tomar um diurético."   Na conclusão da pesquisa, as pesquisadoras recomendam o desenvolvimento de políticas públicas para aumentar a ingestão de potássio a partir de fontes vegetais. Entre outras recomendações, também defendem a adição da informação quantitativa de potássio em rótulos nutricionais para ajudar a aumentar a consciência dos consumidores sobre as fontes do mineral.    
Estudo: McDonough AA, et al. Cardiovascular benefits associated with higher dietary K+ vs. lower dietary Na+: evidence from population and mechanistic studies. American Journal of Physiology – Endocrinology and Metabolism, 2017. DOI: 10.1152/ajpendo.00453.2016
  “As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”
Leia mais

Prevenção é a melhor forma de combater a hipertensão arterial

Dia 26 de abril é o dia do Combate à Hipertensão Arterial e o Brasil se mobiliza em sua prevenção, diagnóstico e tratamento a essa doença. Segundo o Vigitel 2011 (levantamento Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico),  a hipertensão arterial atinge 22,7% da população adulta brasileira. O diagnóstico em mulheres (25,4%) é mais comum do que entre os homens (19,5%). A frequência da doença, segundo o Ministério da Saúde, avança com o passar dos anos. Se entre 18 e 24 anos, apenas 5,4% da população relatou ter sido diagnosticada hipertensa, aos 55 anos a proporção é 10 vezes maior, atingindo mais da metade da população (50,5%) estudada. A partir dos 65 anos, a mesma condição é observada em 59,7% dos brasileiros. A maior frequência de diagnóstico em mulheres ocorre em todas as faixas etárias.

Leia mais