Um estudo recente da Universidade de Lund, na Suécia, mostra que a cevada pode melhorar rapidamente a saúde das pessoas, reduzindo os níveis de açúcar no sangue e o risco de diabetes. O segredo está na mistura especial de fibras dietéticas encontradas na cevada, o que também pode ajudar a reduzir o apetite e o risco de doenças cardiovasculares.

 

“É surpreendente e promissor que a escolha de uma combinação certa de fibras dietéticas pode – em um curto período de tempo – gerar notáveis benefícios para a saúde”, diz Anne Nilsson, professora associada do Centro de Ciências do Alimento para a Saúde, e uma das pesquisadoras por trás do estudo.

 

O estudo foi realizado com participantes de meia-idade saudáveis ​​que foram convidados a comer pão, em grande parte feito de grãos de cevada, durante três dias – no café da manhã, almoço e jantar. Cerca de 11 a 14 horas depois de sua última refeição do dia, os participantes foram analisados para os indicadores de risco de diabetes e doença cardiovascular.

 

Os pesquisadores descobriram que o metabolismo dos participantes melhorou por até 14 horas, com benefícios adicionais, tais como uma diminuição nos níveis de açúcar no sangue e insulina, aumento da sensibilidade à insulina, e melhor controle do apetite. Os efeitos surgem quando a mistura especial de fibras dietéticas no grão da cevada atinge o intestino, estimulando o crescimento de bactérias boas e a liberação de hormônios importantes.

 

“Depois de comer o pão feito de grãos de cevada, observamos um aumento de hormônios intestinais que regulam o metabolismo e o apetite, e um aumento de um hormônio que ajuda a reduzir a inflamação crônica de baixo grau. Com o tempo, isso poderia ajudar a prevenir a ocorrência da doença cardiovascular e diabetes”, relata Anne Nilsson.

 

Em um estudo relacionado anterior realizado com uma equipe da Universidade de Gotemburgo, Suécia, pesquisadores também descobriram que as fibras dietéticas do grão de cevada geram um aumento de bactérias intestinais Prevotella copri, que têm um efeito regulador direto nos níveis de açúcar no sangue e ajudam a diminuir a proporção de um tipo de bactérias do intestino considerado insalubre.

 

Os efeitos da cevada são influenciados pela composição da microbiota intestinal do indivíduo, ou seja, pessoas com baixas concentrações de bactérias Prevotella copri sentiram menos efeitos a partir da ingestão de produtos de cevada. Comer mais cevada poderia, no entanto, ajudar a estimular o crescimento das bactérias.

 

Os resultados são oportunos, pois as taxas de obesidade e diabetes tipo 2 têm aumentado significativamente nos últimos anos. Os investigadores esperam que mais conhecimento sobre o impacto das fibras dietéticas específicas na saúde das pessoas venha a promover maior venda de produtos alimentares saudáveis. Aqui no caso em questão, que mais pessoas utilizem a cevada em refeições, por exemplo, em saladas, sopas, ensopados, ou como uma alternativa ao arroz ou batatas.

 

* O pão utilizado no estudo foi feito com 85% de grãos de cevada, que foram cozidos e misturados com farinha de trigo. Se você quiser reduzir a quantidade de grãos de cevada, substitua um pouco deles com outros grãos integrais.

 

O estudo foi realizado e financiado através do Antidiabetic Food Centre (AFC). AFC é um Centro de Excelência Vinn na Investigação e Inovação da Universidade de Lund com foco na prevenção do diabetes tipo 2 através de conceitos alimentares inovadores.

 

Fonte:http://www.lunduniversity.lu.se/article/watch-barley-helps-improve-blood-sugar-levels-and-reduce-appetite

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”