A edição de agosto de 2015 do European Journal of Pharmacology relata um resultado positivo para o tratamento com menaquinone-7, uma forma de vitamina K2, entre pacientes com artrite reumatoide (AR).

 

“Recentemente, a menaquinona-4 (MK-4) foi comprovada como um novo agente potencial para o tratamento de artrite reumatoide,” escreveram o autor Mahran S. Abdel-Rahman e colegas. “No entanto, a menaquinona-7 (MK-7) tem uma maior biodisponibilidade e eficácia que a MK-4 após administração por via oral. No entanto, os benefícios terapêuticos de MK-7, no tratamento de doentes com AR não haviam ainda sido endereçados.”

 

O estudo atual incluiu 24 homens e 60 mulheres com artrite reumatoide. Quarenta e dois pacientes receberam 100mcg de MK-7 por dia, além de suas medicações para AR, durante três meses, enquanto o restante recebeu apenas os seus regimes terapêuticos normais. Os marcadores clínicos e bioquímicos, incluindo osteocalcina pouco carboxilada (ucOC, um marcador do metabolismo ósseo que é elevado quando há baixo status de vitamina K), velocidade de hemossedimentação (VHS), pontuação da atividade da doença, proteína C-reativa (PCR) e níveis de metaloproteinase da matriz (MMP-3 , uma enzima que degrada colágenos e outros componentes do tecido, que está correlacionada com a inflamação sistêmica da AR) foram avaliados antes e após o período de tratamento.

 

Entre aqueles que receberam MK-7, ucOC, VHS, escore de atividade da doença, PCR e MMP-3 diminuíram em relação aos níveis basais. Um declínio significativamente forte no ucOC, VHS e escore de atividade da doença caracterizaram respostas moderadas ou boas para MK-7, em quem demonstrou um maior aumento nos níveis séricos da vitamina após o tratamento em comparação com o grupo de seis membros de não-respondedores.

 

Os autores observam que a MK-7 é significativamente menos tóxica do que as drogas antirreumáticas e possui a vantagem adicional de proteger contra a osteoporose. Sua meia-vida mais longa, em comparação com a MK-4 permite que a vitamina seja administrada numa dose baixa e única, por dia.

 

O estudo é o primeiro, para o conhecimento dos autores, a relatar a utilização de MK-7 para o tratamento de artrite reumatoide. “Foi sugerido que a MK-7 pode melhorar a pontuação de atividade da doença em pacientes com AR, por meio de alterações no metabolismo mineral ósseo e, portanto, pode ser adicionado à terapêutica antirreumática convencional com segurança”, concluem. “Portanto, a MK-7 representa um novo agente promissor para a terapia de AR em combinação com os outros medicamentos.”

 

Fonte:http://www.lifeextension.com/newsletter/2015/12/Vitamin-K2-shows-promise-as-rheumatoid-arthritis-treatment/page-01?utm_source=eNewsletter&utm_medium=email&utm_content=Header&utm_campaign=EZX500E

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”