As fibras alimentares formam um conjunto de substâncias derivadas de vegetais resistentes à ação das enzimas digestivas humanas. São estruturas derivadas de polissacarídeos que formam as moléculas de celulose e tem papel importante no metabolismo, pois podem ter função energética, como o amido e o glicogênio, ou estrutural, atuando no processo digestivo.

Pesquisas tem evidenciado os efeitos benéficos das fibras alimentares para prevenir e tratar a doença diverticular do cólon, reduzir o risco de câncer e melhorar o controle do Diabetes mellitus. Um estudo recentemente publicado na revista científica PLoS One avaliou o consumo de fibras com o risco de doença cardiovascular.

Um estudo da Universidade de Lund avaliou mais de 20 mil indivíduos com idades entre 44 e 73 anos, moradores de Malmö, na Suécia. O trabalho envolveu avaliação dos hábitos alimentares dos residentes da cidade sueca, com foco no risco de doença cardiovascular. Durante um período de 13 anos foram analisadas 13 diferentes variáveis de nutrientes entre fibras, gorduras, proteínas, carboidratos e outros nutrientes.

As mulheres cuja ingestão de fibras foi maior tiveram um risco 24% menor de doença cardiovascular em comparação aquelas cujo consumo estava baixo. Nos homens, o efeito foi menos relevante, porém os resultados confirmaram que uma dieta rica em fibras para eles mostra-se protetora ao AVC.

A razão pela qual há diferença entre os sexos não foi esclarecida, mas uma provável justificativa é que as mulheres consomem fibras de fontes alimentares mais saudáveis (frutas e hortaliças) do que os homens (pães).  Dessa forma, os pesquisadores do estudo alertam para despender mais atenção em relação ao sexo em estudos posteriores.

Os dados utilizados na pesquisa foram tirados do estudo populacional de Câncer e Dieta de Malmö, que envolveu 30 000 moradores da cidade desde o início da década de 1990. Os participantes deram amostras de sangue e informações detalhadas sobre sua dieta.

Atualmente, a dieta normal ingerida pelo brasileiro não permite atingir a quantidade necessária recomendada de fibras (solúveis e insolúveis). Para melhor aproveitamento desse nutriente na prevenção de diversas doenças, inclusive problemas cardiovasculares, suplementar com fibras é um caminho, desde que seguida junto com uma nutrição balanceada com alimentos de diversos tipos, atividade física e hábitos de vida saudáveis.

Fonte:

Wallström P, Sonestedt E, Hlebowicz J, Ericson U, Drake I. Dietary Fiber and Saturated Fat Intake Associations with Cardiovascular Disease Differ by Sex in the Malmö Diet and Cancer Cohort: A Prospective Study. PLoS ONE 7(2): e31637, 2012.

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”