Ao longo dos anos, as pesquisas mostraram que a ingestão de gordura na dieta desempenha um papel importante na determinação do risco cardiovascular e do risco de síndrome metabólica. A síndrome metabólica é a ocorrência de um grupo de condições, incluindo níveis de colesterol anormal, aumento da gordura corporal em torno da cintura, alto nível de açúcar no sangue e pressão arterial elevada. Em consequência, essas condições podem levar a complicações graves, como acidente vascular cerebral e diabetes.
 
Muitos estudos demonstraram que a dieta influencia fortemente o tipo de microrganismos (fungos, bactérias, vírus) que vivem dentro do intestino de uma pessoa. O azeite de oliva virgem é a principal fonte de gordura em uma dieta mediterrânea, e os pesquisadores tendem a concordar que existe um vínculo entre este tipo de dieta e uma diminuição da frequência da síndrome metabólica.
 
Azeite de oliva virgem: benefícios para as bactérias do intestino
 
Na Espanha, pesquisadores alimentaram um grupo de camundongos com uma dieta rica em manteiga e outro grupo com uma dieta rica em azeite de oliva virgem. Depois compararam os efeitos de cada dieta nos microrganismos investigados e publicaram seus resultados na revista PLoS ONE.
 
Os resultados indicaram que o microbioma dos animais alimentados com azeite de oliva apresentou mais bactérias saudáveis e positivas do que o dos animais alimentados com manteiga.
 
Outros resultados também foram observados quando os pesquisadores analisaram os marcadores da síndrome metabólica. A pressão arterial sistólica apresentou-se significativamente maior nos camundongos que consumiam a dieta enriquecida com manteiga e, em última instância, esses animais demonstraram sinais que sugeriam síndrome metabólica (como aumento do peso corporal, pressão arterial e níveis de insulina), quando comparados ao grupo de azeite de oliva.
 
O estudo sugere que alguns dos conhecidos benefícios positivos do azeite de oliva virgem podem ser devido ao seu impacto no microbioma intestinal.
 
Traduzido e adaptado por Essentia Pharma:
http://www.medicalnewsbulletin.com/virgin-olive-oil-affect-gut-microbiome/