Um estudo*, publicado em Osteoporosis International, sugere que a osteoporose, bem como sua característica fratura óssea, podem ser prevenidas através do consumo dos nutrientes da ameixa seca em mulheres pós-menopáusicas.  A prevalência de perda óssea associada com a idade é maior em mulheres do que homens, e em muitas, essa perda resulta em grandes problemas osteopáticos.

 

As suplementações de cálcio e vitamina D vêm sendo recomendadas como seguras para ajudar na redução de perda óssea. Em adição a uma vida ativa saudável, alguns alimentos funcionais também vêm sendo evidenciados na prevenção de doenças crônicas como a osteoporose, e o novo estudo aqui relatado teve como objetivo testar a possibilidade da eficácia da ameixa para tal.

 

Durante seis meses, 48 mulheres (idades de 65 a 79) com baixa densidade óssea foram divididas em 3 grupos: 100g de ameixa seca; 50g de ameixa seca; grupo controle. A densidade mineral óssea (DMO) total corporal, dos quadris e coluna lombar foram avaliadas no início e aos 6 meses do início do estudo. Níveis de moléculas, como cálcio, fósforo e vitamina D no sangue, que podem ser medidas para avaliar a saúde, foram registrados no início do estudo, bem como aos 3 e 6 meses após seu início.

 

TRAP-5b, um marcador de reabsorção óssea, sofreu redução no terceiro mês e esta redução foi mantida no sexto mês do estudo em ambos os grupos de ameixa seca. Não houve mudanças significativas na atividade da fosfatase alcalina óssea específica (BAP) para qualquer dos grupos de ameixa seca. A enzima BAP é uma indicadora sensível e confiável do metabolismo ósseo.

 

O estudo observou, “A perda óssea relacionada com a idade, incluindo aquela que ocorre em mulheres na pós-menopausa, pode estar parcialmente associada com a redução da produção de certos fatores de crescimento como o semelhante à insulina tipo 1 – IGF-1. Nosso estudo, bem como estudos anteriores, mostram que a ameixa seca pode aumentar os níveis de IGF-1 tanto em humanos como em animais”.

 

“Como conclusão, os resultados do corrente estudo sugerem que o consumo diário de 50g de ameixa seca, ou de 100g, pode ser efetivo para a prevenção de perda óssea em mulheres com osteopenia na pós menopausa.”

 

 

Fonte: * Hooshmand, S; Kern, M, et al. The effect of two doses of dried plumo on boné density and boné biomarkers in osteopenic postmenopausal women: a randomized, controlled trial. Osteoporosis International. 2016. DOI: 10.1007/s00198-016-3524-8

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”