A catarata acontece em consequência da alteração ou envelhecimento do cristalino, uma das principais lentes do olho (situada atrás da íris) onde a imagem é focalizada. Com o avançar da idade – geralmente a partir de 50 anos -, essa lente se empalidece dificultando a entrada da luz até a retina e, com a progressão da condição pode resultar em cegueira. Mas, a catarata também pode ocorrer devido a outros fatores, como inflamação intraocular, exposição à radiação, deficiência hereditária, diabetes, um trauma ocular ou uso de medicamentos corticoides. Dependendo da área do cristalino atingida, a condição pode ser classificada em: cortical, nuclear e sub-capsular posterior.

 

O único método capaz de curar a catarata ainda é através da cirurgia. Já a prevenção de sua progressão vem sendo estudada através de suplementação, fatores dietéticos e estilo de vida, e estudo recente, do King’s College London e publicado em Ophthalmology, explorou o efeito de micronutrientes na progressão da catarata nuclear em 324 mulheres gêmeas – assim abrangendo a importância dos genes na sua progressão -, durante 10 anos.

 

Os autores do estudo apontam que o fluído que banha a lente ocular é rica em vitamina C, o que ajuda a prevenir contra o estresse oxidativo, então podendo prevenir a lente de se tornar opaca. Entre os resultados conflitantes sobre este tema publicados até o momento, o estudo recente de Ekaterina Younova-Doing, autora principal, e colegas apontam que os fatores hereditários influem na progressão da catarata nuclear, mas abaixo das estimativas previamente estipuladas, e que a vitamina C afeta a progressão da catarata nuclear.

 

Além da vitamina C, os pesquisadores encontraram também o manganês como protetor. O manganês é um importante antioxidante presente na lente ocular, e sua concentração se mostra baixa quando acometida pela catarata, em comparação com lentes saudáveis. “Ambos nutrientes são fatores relativos ao estresse oxidativo e parecem influenciar a catarata nuclear, e a ingestão de vitamina C significantemente influencia na progressão da condição”, concluiu o estudo.

 

Fonte:E. Yonova-Doing; Z.A. Forkin, et al. Genetic and Dietary Factors Influencing the Progression of Nuclear Cataract. Ophthalmology. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.ophtha.2016.01.036

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”