As doenças hepáticas crônicas classificam-se como a 12ª causa de morte em todo o mundo e muitos desses distúrbios estão associados a estilos de vida pouco saudáveis. Por outro lado, um estilo de vida mais saudável pode ajudar a prevenir ou reverter a doença hepática. A mortalidade relacionada ao fígado está intimamente relacionada ao desenvolvimento da cirrose, consequência final da fibrose progressiva, ou seja, cicatrizes no fígado resultantes da inflamação crônica.
 

De acordo com um novo estudo publicado no Journal of Hepatology, os pesquisadores descobriram que beber café e chá de ervas pode proteger contra a fibrose hepática, estimada segundo o grau de rigidez do fígado, que apresenta cicatrizes extensas. Como essas bebidas são populares, amplamente disponíveis e de baixo custo, elas podem ter o potencial de se tornarem importantes na prevenção de doenças avançadas do fígado.
 

“Nas últimas décadas, gradualmente nos desviamos para hábitos mais insalubres, incluindo um estilo de vida sedentário, diminuição da atividade física e consumo de uma ‘Dieta Feliz’”, explica a autora principal Dra. Louise JM Alferink, do Departamento de Gastroenterologia e Hepatologia do Erasmus MC University Medical Center, Roterdã, Holanda. “Essa tal dieta feliz, também conhecida como dieta ocidental, é tipicamente rica em alimentos não saudáveis, incluindo os processados, que não possuem nutrientes e contam com açúcares artificiais”, reforça. Isso levou não só a uma epidemia de obesidade, mas também a um aumento rápido da prevalência de Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica (DHGNA).
 

A DHGNA apresenta acúmulo extenso de gordura no fígado e se parece com a doença hepática alcoólica em pessoas que não excedem dois drinques de álcool por dia. “Nesse contexto, estratégias de estilo de vida acessíveis e de baixo custo que têm potenciais benefícios para a saúde, como o consumo de café e chá, podem ser uma abordagem viável para encontrar maneiras de travar o aumento rápido da doença hepática nos países desenvolvidos”, reforça a especialista.
 

A Dra. Sarwa Darwish Murad, PhD, investigadora principal do estudo e hepatologista do Centro Médico da Universidade MC Erasmus, continua explicando que há diversos dados epidemiológicos, mas também experimentais, sugerindo que o café oferece benefícios para a saúde para o aumento de enzimas hepáticas, para a hepatite viral, DHGNA, cirrose e câncer de fígado.
 
“Além do fígado, o café demonstrou estar inversamente associado à mortalidade geral na população em geral. O mecanismo exato é desconhecido, mas uma hipótese se baseia nos efeitos antioxidantes do café. Estávamos curiosos para descobrir se o consumo de café teria um efeito semelhante nas medidas de rigidez hepática em indivíduos sem doença hepática crônica”, conta.
 
Benefícios do café e do chá para o fígado em ação
 
Os dados foram coletados de 2.424 participantes do estudo de Roterdã, uma grande pesquisa populacional, incluindo participantes de 45 anos ou mais que vivem em um subúrbio de Roterdã, na Holanda. Todos os participantes foram submetidos a um extenso trabalho físico, incluindo coleta de dados para a antropometria, amostragem de sangue, imagem hepatológica usando-se ultrassom abdominal e Fibroscan®, que mede quantitativamente a rigidez hepática. Além disso, eles completaram um questionário de frequência alimentar de 389 itens validado externamente, que incluiu informações detalhadas sobre o consumo de café e chá dos participantes.
 

O consumo de café e chá em geral foi dividido em três categorias: nenhuma, moderada (de zero a três xícaras por dia) e frequente (mais de três xícaras por dia). O consumo de chá foi categorizado por chá de ervas, verde ou preto e depois em nenhum (0) ou qualquer (>0) consumo.

Os pesquisadores descobriram que o consumo frequente de café foi significativamente associado a menores probabilidades de valores altos de rigidez hepática (≥⩾8 kPa como proxy para fibrose hepática), ou seja, menos cicatrizes do fígado, independentemente do estilo de vida, características metabólicas e ambientais. Quando analisaram toda a gama de valores de rigidez do fígado, descobriram que o café ‘frequente’ e qualquer nível de consumo de chá de ervas, mesmo em pequenas quantidades, estavam significativamente associados com valores mais baixos de rigidez hepática.
 

Finalmente, enquanto não se encontrou uma associação direta entre o café ou o chá e a presença de acumulação de gordura no fígado (DHGNA), o efeito do café na redução da rigidez do fígado foi significativo tanto no grupo com gordura hepática, quanto no grupo sem gordura hepática. Os autores concluíram, portanto, que o consumo frequente de café e de chá de ervas parece ter efeitos benéficos sobre a prevenção de cicatrizes no fígado, mesmo antes da evolução da doença hepática.
 

Estudo (e fígado!) seguem em análise
 
No entanto, é necessário algum cuidado na interpretação dos resultados, como sublinhado em um editorial acompanhante do Dr. Salvatore Petta, PhD, da Secção de Gastroenterologia e Hepatologia, Di.Bi.MIS, Universidade de Palermo, Itália, e Dr. Giulio Marchesini, do Departamento de Ciências Médicas e Cirúrgicas (DIMEC), Universidade “Alma Mater” de Bolonha, Itália. O estudo incluiu apenas uma população caucasiana mais velha e houve poucos participantes nos grupos de controle não-café ou não-chá, que limitam uma conclusão direta sobre o efeito do café e do chá no fígado.
 

A quantidade de chá consumida foi geralmente baixa, tornando difícil a estimativa de qualquer efeito protetor. Além disso, eles observam que mais de 100 componentes estão presentes no café e no chá, incluindo polifenóis e cafeína, contidos em ambas as bebidas em diferentes e variáveis quantidades.
 
Assim, quando questionado: “devemos adicionar intervalos regulares de café e chá no nosso cotidiano?”, a conclusão do Dr. Petta e do Dr. Marchesini foi: “antes que essa política possa ser recomendada, são necessários estudos prospectivos para identificar as quantidades ótimas e os tipos de café e chá, tornando os resultados para o fígado mais favoráveis”.

 

 

Fonte: https://www.sciencedaily.com/releases/2017/06/170606112745.htm
Traduzido e adaptado por Essential Nutrition

 

 

Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da Empresa
 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essential.”