Medicamentos hipnóticos, que muitos adultos tomam para insônia, têm sido associados com aumento do risco de câncer e morte. Investigadores esclareceram a extensão desses riscos através da análise dos prontuários médicos de 10.531 pacientes (idade média, 54 anos) que receberam prescrições de medicamentos hipnóticos e registros de 23.674 controles pareados que não receberam tais prescrições. Os dados de mortalidade foram adquiridos utilizando o Social Security Death Index (Índice de Morte de Segurança Social).

 

Após uma média de acompanhamento de 2,5 anos, 6,1% dos pacientes que receberam prescrição de medicamentos hipnóticos e 1,2% dos pacientes que não receberam tais prescrições faleceram. Ajustado para múltiplas variáveis (por exemplo, idade, tabagismo, índice de massa corporal) e estratificado por múltiplas comorbidades, as taxas de risco para todas as causas de morte foram de 3,6 para pacientes prescritos 1a18 doses por ano, 4,4 para pacientes prescritos 18 a 132 doses anuais, e 5,3 para pacientes prescritos > 132 doses anuais em comparação com não usuários – uma relação dose-resposta. Os resultados foram similares quando a análise foi restrita a zolpidem (Ambien) ou temazepam (Restoril), os hipnóticos mais comumente prescritos. Os pacientes que foram prescritos > 132 doses anuais de qualquer droga hipnótica também apresentaram risco significativo de câncer (Taxa de risco de 1,4 em comparação com não usuários).

 

COMENTÁRIO

Neste estudo, o recebimento de uma prescrição para um medicamento hipnótico – mesmo sendo ≤18 doses anuais – foi associado ao aumento do risco de mortalidade por todas as causas, e na prescrição de muitas doses (> 132 doses anuais) foi associado com aumento do risco de câncer. Dada a sua concepção, este estudo não prova que as drogas hipnóticas causam a morte ou câncer. Além disso, os autores não foram capazes de correlacionar com diagnósticos psiquiátricos, tais como a depressão ou a ansiedade; portanto, a confusão residual é possível. No entanto, os autores apropriadamente questionam a segurança destes medicamentos prescritos.

 

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte:  Insomnia Drugs Linked to Increased Mortality –  Paul S. Mueller, MD, MPH, FACP revisando Kripke DF et al.
Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da Empresa.