Uma elevada percentagem de crianças, adolescentes e jovens adultos com enxaqueca parecem ter deficiências leves de vitamina D, riboflavina e coenzima Q10 – uma substância similar a uma vitamina, encontrada em todas as células do corpo e usada para produzir energia para o crescimento e manutenção celular.

 

Estas deficiências podem estar presentes em pacientes que sofrem de enxaquecas, mas, através dos estudos existentes, o fato não está claro. “Mais estudos são necessários para elucidar se a suplementação vitamínica é eficaz em pacientes com enxaqueca, e se os pacientes com deficiência leve são mais propensos a se beneficiar da suplementação”, relata Suzanne Hagler, MD, da Headache Medicine, divisão da área de neurologia do Cincinnati Children’s Hospital Medical Center, e principal autora do estudo.

 

Dra. Hagler e colegas realizaram o estudo entre os pacientes do Cincinnati Children’s Headache Center.

 

Os pacientes com enxaqueca (participantes do estudo), de acordo com a prática do Headache Center, tiveram medidos seus níveis sanguíneos de base para a vitamina D, riboflavina, coenzima Q10 e ácido fólico, os quais foram implicados no quadro de enxaqueca por estudos anteriores, por vezes, conflitantes. Muitos receberam medicamentos preventivos para enxaqueca e receberam suplementação de vitamina, se apresentavam níveis baixos.

 

No início do estudo, descobriu-se que meninas e mulheres jovens eram mais propensas do que meninos e homens jovens a ter deficiências de coenzima Q10. Meninos e homens jovens foram mais propensos a ter deficiência de vitamina D. Não ficou claro se houve deficiências de folato. Os pacientes com enxaqueca crônica foram mais propensos a ter deficiências de coenzima Q10 e riboflavina do que aqueles com enxaqueca episódica.

 

Estudos anteriores indicaram que certas vitaminas e a deficiência de vitaminas podem ser relevantes no processo de enxaqueca. No entanto, estudos usando vitaminas para prevenir enxaquecas ainda apresentam resultados conflitantes.

 

Fonte: http://www.eurekalert.org/pub_releases/2016-06/cchm-mw060816.php

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”