Os nootrópicos, conhecidos como “smart drugs” ou drogas da inteligência, são substâncias com ação cerebral, capazes de aumentar o foco, a atenção, a memória e o raciocínio. Eles melhoram a performance intelectual tanto em pessoas com diagnóstico de TDAH e depressão como também em indivíduos saudáveis que desejam aumentar a performance cognitiva, a memória e a produtividade nos estudos ou trabalho.

O termo nootrópico foi usado pela primeira vez em 1972 pelo psicólogo e químico romeno Corneliu Giurgea. Para se referir a uma droga que aumentava capacidades intelectuais sem causar efeitos colaterais, ele recorreu ao grego nou, que significa “mente”, e tropo, que pode ser traduzido como “direção”. Essa droga, sintetizada por ele, era o Piracetam, hoje usado como um suplemento e também no tratamento de condições cognitivas debilitantes.

Atualmente, estas substâncias são febre entre investidores do mercado financeiro e empresários e programadores do Vale do Silício, na Califórnia. Também nos Estados Unidos, marcas como TruBrain, Qualia e HVMN oferecem bebidas, alimentos e suplementos com substâncias neuroativadoras.

O tema chegou também à cultura. O filme Limitless, protagonizado por Bradley Cooper em 2011, mostra a descoberta dos efeitos dos nootrópicos por um escritor falido. Inspirado neste longa, a CBS lançou a série homônima em 2015. Uma busca por “Nootropics” no site da Amazon revela mais de 170 livros sobre o tema.

Como atuam os nootrópicos

Atualmente há centenas dessas substâncias catalogadas que funcionam de várias maneiras. Mas, basicamente, a ação dos nootrópicos tem como alvo principal os neurotransmissores. Estes atuam como mensageiros químicos, transportando, estimulando e equilibrando os sinais entre neurônios, células nervosas e outras células do corpo. Após sua liberação, o neurotransmissor atravessa a lacuna entre as células e se liga a outro neurônio, estimulando ou inibindo o neurônio receptor, de acordo com a sua característica.

No caso dos nootrópicos, o foco maior de atuação está em transmissores ligados à concentração, cognição e memória, como a acetilcolina, a dopamina e a noradrenalina. 

  • A acetilcolina está envolvida no processo de formação de novas memórias e concentração, assim como no aumento do metabolismo cerebral.
  • A dopamina é mais conhecida por sua participação no ciclo de recompensa, estimulando nosso cérebro a completar tarefas. Além disso, a dopamina atua no controle de movimentos, aprendizado, cognição e memória.
  • A noradrenalina regula atividades como o sono e as emoções, causando sensação de bem-estar. Também relaciona-se com processos cognitivos de aprendizagem, criatividade e memória.

Tipos de nootrópicos

Algumas smart drugs, como a Creatina e o DHA, podem ser encontradas no comércio, sendo vendidas como suplementos alimentares. Outras, como a Homotaurina e o Lion’s mane, devem ser prescritas por médicos e podem ser manipuladas. Conheça algumas das principais opções de nootrópicos nestas duas categorias.

Nootrópicos disponíveis para manipulação

Fenilpiracetam

É uma forma mais biodisponível do Piracetam, podendo ser até 60 vezes mais potente. Age na otimização da cognição, atenção, memória, raciocínio, linguagem e compreensão e também na melhora da capacidade física. Estudos demonstram benefícios em casos de depressão, síndrome da fadiga crônica e gestão do estresse.

Ginkgo Biloba

Ginkgo biloba promove aumento da produção de fatores de crescimento neural e glial, aumentando a ação de neurotransmissores ligados à memória, à sensação de conquista e à concentração: acetilcolina, dopamina e GABA. Ele melhora o metabolismo de enzimas antioxidantes e de radicais livres e bloqueia o declínio cognitivo.

Noopept®

Tem ação semelhante ao Piracetam, mas com ação superior e imediata na cognição. Ele otimiza a comunicação entre os neurônios e melhora o fluxo sanguíneo cerebral, demonstrando efeito na cognição, age como ansiolítico e neuroprotetor. Sua ação neuroprotetora se dá pelo aumento da acetilcolina, melhorando a memória em longo prazo.

Cognizin®

Cognizin® é uma forma patenteada de citicolina que estimula a produção de substâncias essenciais à formação dos neurônios. Além disso, é precursor da acetilcolina, neurotransmissor importante para concentração e memória, e aumenta a produção de serotonina e dopamina, que influenciam o aprendizado e o humor.

Lion’s Mane

Lion’s mane é um fungo comestível (Hericium erinaceus), com grande variedade de substâncias anti-inflamatórias e neuroprotetoras. Entre elas estão: ß-glucana, isoindolinonas, hericenonas e erinacina. Promove o aumento de neurotransmissores no cérebro, tendo benefício na depressão, ansiedade e autismo.

Homotaurina

A homotaurina é um composto com estrutura molecular semelhante aos aminoácidos GABA e taurina, que favorecem o relaxamento e a concentração. Seu principal efeito é o ansiolítico, porém a sua atividade de maior destaque é a sua ação neuroprotetora, auxiliando nos processos de cognição e memória.  

Phenibut

Phenibut aumenta a concentração de GABA. É utilizado como tranquilizante e como agente nootrópico. Reduz o estresse, a insônia, a ansiedade e melhora a memória e a função intelectual.

Vimpocetina

A Vimpocetina é considerada um neuroprotetor natural e um poderoso ativador da memória. Estudos comprovam sua ação na memória de curto e longo prazo e na capacidade de coordenação motora.

Idebenona

A idebenona é um potente antioxidante celular, uma forma mais biodisponível da Coenzima Q10. Aumenta o metabolismo cerebral, os níveis de noradrenalina, serotonina, fator de crescimento neural (NGF) e acetilcolina. Consequentemente, impulsiona a capacidade de aprendizado.

Alfaglicerilfosforilcolina (alfaGPC)

Alfaglicerilfosforilcolina (alfaGPC) é um fosfolipídio derivado da lecitina de soja e precursor do neurotransmissor acetilcolina. Também atua potencializando a ação do hormônio do crescimento (GH). Seu uso tem levado à melhora da memória, atenção e desempenho cognitivo em adultos saudáveis.

Teanina

A teanina afeta os níveis de neurotransmissores como a GABA. Em combinação com a cafeína, tem um efeito sinérgico e pode melhorar o desempenho cognitivo, em particular promovendo foco, estado de alerta e endurance cognitivo.

Nootrópicos que dispensam receita médica

Creatina

A creatina é uma velha favorita entre os praticantes de academia, que a utilizam para melhorar seus desempenhos esportivos. Mas, ao longo da última década, novas funcionalidades vêm sendo descobertas. Estudos revelaram que o suplemento teve um efeito positivo sobre a memória de trabalho e inteligência, em particular no que diz respeito a tarefas que exigem velocidade de processamento.

DHA

O DHA é um dos ácidos graxos componentes do Ômega-3, o óleo extraído de peixes que vivem em águas profundas (saiba mais sobre DHA e EPA, importantes componentes do ômega-3). Pesquisas indicam que ele tem potencial para melhorar a memória e proteger contra certos transtornos psiquiátricos. Além disso, uma revisão de estudos científicos descobriu que suplementos de DHA melhoram significativamente o desenvolvimento cognitivo em crianças.

Como tomar nootrópicos

Para chegar à melhor fórmula de nootrópico para o seu caso, escolha um médico de sua confiança e siga essas dicas:

  • Defina seus objetivos: pense no que você deseja alcançar, em quais aspectos da cognição você deseja se concentrar e em como vai avaliar o sucesso.
  • Faça o dever de casa: se você está tentando encontrar os melhores nootrópicos, deve cuidar do básico. Beba água suficiente, faça exercícios regularmente, leia, passe algum tempo ao ar livre, socialize e reduza o consumo de álcool. Se você não estiver se esforçando para fazer essas coisas, mesmo os melhores nootrópicos produzirão resultados abaixo do padrão.
  • Comece com doses baixas: se você é iniciante nootrópico, comece com as menores doses possíveis e suba lentamente. Dessa forma, você descobrirá o quão pouco precisa ver os benefícios e reduzirá drasticamente as chances de efeitos colaterais.
  • Comece simples e desenvolva a partir daí: a maioria das pessoas vê melhorias significativas no foco, memória e energia mental de um complexo de vitamina B e alguns DHA. A adição de cafeína e Ginkgo biloba geralmente é suficiente para trazer melhorias mensuráveis ​​no desempenho cognitivo.
  • Não confie em uma única substância: muitas pessoas acreditam ser neurohackers experientes porque usam o mesmo produto há uma década. Mas confiar em uma substância pode levar a vários problemas. Por um lado, você não sabe realmente como esse nootrópico funciona em comparação com outras substâncias. Outra questão surge quando o suprimento falta e seu desempenho cognitivo sofre uma queda. É melhor adotar uma abordagem ampla.
  • Experimente formas diferentes do mesmo ingrediente: formas diferentes do mesmo nootrópico podem ter efeitos totalmente diversos. Além disso, algumas formas de minerais são mais facilmente absorvidas e biodisponíveis do que outras. Utilize diferentes formas de diferentes ingredientes para maximizar os resultados.
  • Cuide do sono: muitas pessoas se concentram exclusivamente em melhorar o foco e a capacidade de aprendizado. Elas tomam todos os tipos de substâncias que melhoram o foco, mas ignoram completamente um dos maiores determinantes do desempenho cognitivo: dormir! Quanto sono você tem a cada noite tem um impacto maior em sua função cognitiva do que quase qualquer outra coisa. Usar substâncias auxiliares para dormir, em vez de mais nootrópicos, talvez seja a melhor maneira de otimizar a função cerebral.
  • Escolha uma farmácia de manipulação de confiança para produzir seu nootrópico prescrito:  saiba aqui quais fatores diferenciam as boas farmácias de manipulação.
  • Caso opte por um na forma de suplemento: fique atento à composição desses produtos. Saiba como identificar um Ômega-3 de qualidade e descubra os segredos da Creatina.
  • Em caso de mal-estar, dor de cabeça, tonturas ou outro efeito adverso: interrompa o uso e procure seu médico.