Por que você pega gripe, mas seus colegas de trabalho não? A resposta, de acordo com um novo estudo de gêmeos, pode ter menos a ver com os seus genes e mais a ver com o ambiente que você vive, incluindo exposição passada a patógenos e vacinas.

 

Nosso sistema imunológico é incrivelmente complexo, com diversos exércitos de células brancas do sangue e proteínas sinalizadoras correndo em nossas veias, prontos para montar um ataque contra supostos invasores. Cada pessoa possui um sistema imunológico diferente, uma mistura única de centenas destas células e proteínas. Mas o principal responsável por esta variação não é clara. Embora os cientistas saibam que o nosso sistema imunológico pode se adaptar ao nosso ambiente – e é por isso que vacinas funcionam, por exemplo – ele também é construído por nossos genes.

 

Para desvendar as influências concorrentes de natureza e criação, pesquisadores liderados pelo imunologista Mark Davis, da Universidade de Stanford, em Palo Alto, Califórnia, virou-se para o teste padrão-ouro: um estudo com gêmeos. Os gêmeos idênticos são quase iguais geneticamente, enquanto os gêmeos fraternos compartilham apenas cerca de metade de seus genes. Se uma característica é hereditária, gêmeos idênticos serão mais prováveis compartilhá-la do que gêmeos fraternos, permitindo que os cientistas tragam à tona o componente genético.

 

Depois de recrutar 210 gêmeos idênticos e fraternais entre 8 e 82 anos, Davis e seus colegas recolheram amostras de sangue e mediram mais de 200 parâmetros de seus sistemas imunológicos. Por exemplo, foi medido o número de 95 tipos de células do sistema imunológico e 51 tipos de proteínas. Hoje, os pesquisadores relatam on-line no Cell que os sistemas imunitários dos gêmeos idênticos eram muito diferentes para que a variação se resumisse à genética. Na verdade, o ambiente ofuscou a herança em três quartos das medições e metade não mostrou nenhuma influência genética mensurável. Além disso, havia mais semelhança entre os gêmeos mais novos do que os gêmeos mais velhos, como prova de que com o passar dos anos os gêmeos foram expostos a diferentes ambientes e seus sistemas imunológicos foram se divergindo.

 

Os pesquisadores também analisaram a influência genética nas respostas dos gêmeos a vacinas contra a gripe. Algumas pessoas reagem mais fortemente a vacinas do que outras, produzindo mais anticorpos: proteínas que nossos corpos fabricam para identificar e nos proteger de micróbios invasores. Se esse traço fosse genético, os idênticos teriam respostas semelhantes. Em vez disso, a variação de respostas foi quase inteiramente resultado de diferenças ambientais – presumidamente a quais cepas de gripe os gêmeos haviam sido anteriormente expostos.

 

Os pesquisadores também estudaram o impacto no sistema imune do citomegalovírus, o qual fica dormente em uma grande fração da população, raramente causando sintomas. Pares de gêmeos idênticos com diferentes estados de infecção – um infectado e o outro não -apresentavam sistemas imunológicos mais divergentes do que pares de gêmeos em que ambos não estavam infectados. De fato, a infecção por citomegalovírus influenciou quase 60% dos parâmetros medidos pelos cientistas. “Essa é um tipo de arma fumegante” que a variação seja ambiental, afirma Davis.

 

O trabalho vai além da pesquisa anterior, em seu âmbito, diz o imunologista Jean-Laurent Casanova, da Universidade Rockefeller, em Nova Iorque, que não estava envolvido com a pesquisa. “Fazer um estudo com gêmeos e medir um número enorme de parâmetros imunológicos, é uma novidade.”

 

“Não há nada aqui de revolucionário ou que requeira repensar nossas suposições sobre as funções do sistema imunológico”, diz David Baltimore, biólogo do Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena, e continua, “achei muito impressionante … que à medida que envelhecemos, o nosso sistema imunológico se molda em formas cada vez mais individuais.”

 

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte: http://news.sciencemag.org/biology/2015/01/environment-more-genetics-shapes-immune-system

Autora: Emily Conover

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”