Uma prova de meio-Ironman é uma competição de triathlon de média distância que consiste em 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21,1 km de atletismo.

Pesquisadores espanhóis analisaram a eficácia do sal sobre o desempenho esportivo em triatletas resultando numa diferença de 26 minutos a menos entre os atletas que acrescentaram este suplemento em suas rotinas habituais de hidratação e aqueles que só usaram bebidas esportivas para completar a prova.

A manutenção de um equilíbrio adequado de água e eletrólitos (principalmente cloreto e sódio) é essencial para o funcionamento de todos os órgãos. Os seres humanos compensam suas perdas diárias com água e sais fornecidos por alimentos e bebidas de suas dietas.

“No entanto, fazer exercício (especialmente esportes de resistência e atividades realizados no calor) pode comprometer a regulação da água e eletrólitos”, explica Juan del Coso Garrigós, pesquisador da Universidade Camilo José Cela (UCJC) e principal autor do estudo que acaba de ser publicado no Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports.

Durante a pesquisa, um grupo de triatletas ingeriu, bem como suas bebidas de reidratação que normalmente bebem, 12 cápsulas de sal divididas em três doses durante a competição, com o objetivo de substituir 71% do sódio perdido através do suor.

 

Seus resultados foram comparados aos de outro grupo de atletas da mesma idade, experiência e com melhores tempos em um meio-Ironman anterior, que durante a competição consumiram bebidas esportivas e cápsulas de placebo, e, portanto, apenas substituíram 20% do sódio perdido.

Os triatletas que ingeriram o sal terminaram a competição, em média, 26 minutos antes do grupo controle. Acima de tudo as suas velocidades de corrida e ciclismo melhoraram. “Esse efeito positivo sobre o desempenho refere-se a um aumento na concentração de eletrólitos no sangue, fazendo com que bebessem mais líquidos durante a corrida (desde que o sal estimula a sede) e melhora o equilíbrio de água e eletrólitos durante a competição”, acrescenta Del Coso.

Conforme o especialista menciona, bebidas esportivas não substituem 100% dos eletrólitos perdidos através do suor. No entanto, para a maioria das atividades esportivas que duram menos de duas horas, os eletrólitos que eles contêm são suficientes para manter o desempenho e evitar desequilíbrios.

 

A transpiração é o principal mecanismo de perda de calor do corpo. As glândulas sudoríparas filtram o plasma sanguíneo (que contém 142 miliequivalentes por litro (mEq/L) de sódio) para se obter um fluido, suor hipotônico, que se evapora através da pele e dissipa o calor.

Por outro lado, a água corporal e os eletrólitos são perdidos através do suor. Em pessoas saudáveis, a filtração nas glândulas reduz a concentração de sódio no suor para 40-60 mEq/L. Por esta razão, o principal objetivo da reidratação no esporte é para repor a água e eletrólitos perdidos.

“Se escolhermos a água mineral como bebida de reidratação no esporte (que contém 2 mEq/L de sódio), poderíamos gerar hiponicidade, uma vez que estaríamos substituindo apenas o líquido, enquanto a concentração de sódio no sangue iria tornar-se progressivamente diluída”, afirma Del Coso.

As bebidas esportivas são projetadas para substituir os líquidos perdidos e eletrólitos no esporte, mas mesmo o melhor no mercado só tem uma concentração de sódio de cerca de 20 mEq/L, cerca de metade do que é perdido através do suor.

 

Para os especialistas, há um equilíbrio entre o que é considerado fisiologicamente recomendável e o que é economicamente rentável no mundo das bebidas esportivas.

“Apesar das empresas de bebidas esportivas saberem que incluindo mais sódio na sua composição seria mais benéfico para manter o equilíbrio de fluidos e eletrólitos durante o exercício, uma maior concentração de sódio também faria a bebida ter um sabor mais salgado e reduziria as possibilidades de sucesso em um mercado onde o sabor é a chave para a obtenção de bons números de vendas”, conta o pesquisador.

No entanto, em testes de longa distância em que grandes quantidades de bebidas são ingeridas para evitar a desidratação (maratonas, triatlos de longa distância, etc.), a reidratação com essas bebidas especializadas pode não ser suficiente para manter a concentração de sal nos fluidos corporais.

“Pode ser necessário comer alimentos que contenham grandes quantidades de sal, como nozes, ou mesmo cápsulas de sal para reduzir o efeito da perda de eletrólitos no desempenho físico”, conclui ele.

 

 

 Traduzido por Essentia Pharma

Fonte: http://www.sciencedaily.com/releases/2015/03/150304075220.htm

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”