O consumo de alimentos picantes contêm capsaicina, o princípio maior da pungência das pimentas, supostamente promove balanço energético negativo. No entanto, muitas pessoas se abstêm de alimentos picantes devido à queimadura sensorial e dor induzida pela molécula da capsaicina. Uma alternativa potencial para não usuários de alimentos picantes que desejam explorar essa propriedade equilibrante de energia é o consumo de pimentas não pungentes ricas em capsiate, um análogo da capsaicina não pungente recentemente identificada contida em pimentas doces CH-19.

O capsiate ativa o receptor transiente potencial vanilde de subtipo 1 (TRPV1) no intestino, mas não na cavidade oral. Este artigo avalia criticamente o conhecimento atual sobre os efeitos termogênicos e apetitivos de capsaicina e capsiate a partir de alimentos e na forma de suplemento. As meta-análises foram realizadas nos resultados termogênicos, com uma revisão sistemática conduzida para ambos os resultados termogênicos e apetitivos. Evidências indicam que a capsaicina e capsiate tanto aumentam o gasto de energia quanto aumentam a oxidação das gorduras, especialmente em doses elevadas. Além disso, em média, a literatura sugere que a capsaicina e capsiate suprimem as sensações orexígenas. A magnitude desses efeitos é reduzida. A inclusão proposital desses compostos na dieta pode ajudar no gerenciamento de peso, ainda que modestamente.

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte:  The Effects of Capsaicin and Capsiate on Energy Balance: Critical Review and Meta-analyses of Studies in Humans – Mary-Jon Ludy1,3, George E. Moore2 and Richard D. Mattes1

Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da Empresa.