O óleo de peixe tem sido demonstrado como benéfico para o corpo humano, apresentando características como a melhora das habilidades cognitivas e até mesmo eficiente no bombeamento do coração -, mas a capacidade deste óleo na alteração das bactérias do intestino de um indivíduo pode fazer uma boa diferença no tratamento de perda de peso. Pesquisadores da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, compararam o efeito do óleo de peixe no intestino com a banha de porco. Seus resultados, publicados na revista Cell Metabolism, revelam os impactos, positivos ou negativos, que o óleo de peixe e a banha de porco têm, respectivamente, sobre as bactérias do intestino.

“Queríamos determinar se os micróbios do intestino contribuem diretamente para as diferenças metabólicas associadas com dietas ricas em gorduras saudáveis ​​e não saudáveis”, relatou o coautor do estudo, Dr. Robert Caesar, um pesquisador da Universidade de Gotemburgo. “O nosso objetivo é identificar intervenções para otimizar a saúde metabólica em seres humanos.” Para isso, Caesar e seus colegas alimentaram camundongos com uma dieta de banha ou óleo de peixe durante 11 semanas, enquanto monitoravam os sinais de alterações metabólicas.

 

Eles descobriram que a banha promoveu o crescimento de bactérias Bilophila, que estão ligadas à inflamação do intestino. O óleo de peixe, por outro lado, aumentou a quantidade de bactérias Akkermansia muciniphila, que reduzem o ganho de peso e melhoram o metabolismo do açúcar no sangue.

 

Em seguida, os investigadores transplantaram matéria fecal (conhecido como “transplante fecal”) de camundongos sob a dieta banha de porco em camundongos com a dieta de peixe e vice-versa. Depois das transferências, os pesquisadores foram capazes de ver o poder dos micróbios em ação. Aparentemente, os animais que estavam na dieta banha de porco, mas que receberam um transplante fecal do grupo óleo de peixe ficaram mais protegidos contra o ganho de peso e inflamação. Os que estavam na dieta óleo de peixe e receberam o transplante fecal do grupo banha apresentaram inflamação e obesidade. Os transplantes fecais confirmaram que o microbioma intestinal pode causar certos problemas de saúde, mas também ajudar as pessoas a recuperarem-se, dependendo do tipo de dieta que alimenta o intestino.

 

Tanto o óleo de peixe como a banha de porco são considerados gorduras, mas não são criados iguais. A banha é uma gordura que vem do porco, comumente utilizada no cozimento e com um diferencial na panificação. De acordo com a American Heart Association, ela contém 40 por cento de gordura saturada, que pode ser prejudicial para o coração à medida que aumenta a pressão sanguínea, o “mau” colesterol LDL e a acumulação de ácidos graxos nas artérias.

 

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte: http://www.medicaldaily.com/losing-weight-supplements-fish-oil-may-produce-microbes-protect-against-weight-gain-350048

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”