Além de outros benefícios amplamente divulgados, a ingestão de quantidades moderadas de chocolate pode reduzir o risco de homens sofrerem um Acidente Vascular Cerebral (AVC), segundo um novo estudo realizado na Suécia.

Durante 10 anos, mais de 37 mil homens foram acompanhados e avaliados quanto à ingestão de chocolate e o risco de AVC. Os participantes que ingeriram chocolate obtiveram 17% menor risco de AVC comparados àqueles que não comeram.

Os pesquisadores associaram a presença de flavonoides ao risco reduzido de problemas cardiovasculares e melhora do desempenho cognitivo. Sabe-se que esses compostos, através de sua ação antioxidante, protegem o coração, atuam como anticoagulantes e anti-inflamatórios, e reduzem o colesterol.

Vale ressaltar que neurologistas como Richard Libman, vice-presidente do Instituto de Cushing Neuroscience Institute em Manhaset, New York, não apoiam o consumo excessivo de chocolate baseados neste novo estudo. Deve-se ter cautela com estudos observacionais, uma vez que mostram uma associação entre consumo/redução de risco e não a relação de causa/efeito.

Homens entre 49 e 75 anos foram avaliados pela sua dieta e a quantidade de chocolate que consumiam. Após os 10 anos de acompanhamento, 2 mil homens sofreram um AVC. Aqueles que tiveram maior consumo de chocolate, cerca de 60 gramas de chocolate por semana, reduziu o risco de AVC em 14%.

Os benefícios do chocolate têm sido associados ao tipo “escuro”, com maior teor de cacau. Mais de 80% do chocolate consumido em países como a Suécia é à base de leite. Chocolates ao leite são mais gordurosos, contém mais açúcar e menos cacau que os chocolates do tipo “escuro”.  Dessa forma, especialistas indicam o consumo de chocolate com maior teor de cacau para obter benefícios ao coração, por exemplo.

Assim como a maioria dos alimentos, o cacau por si só não fornece sozinho os fatores necessários para uma boa saúde cardiovascular. Em uma dieta deve conter, por exemplo, alimentos como frutas, verduras e legumes a fim de promover proteção contra fatores de riscos ao indivíduo.

Assim como o vinho tinto que dependendo da forma de produção, da uva utilizada e de compostos adicionados à bebida, chocolates podem conter alto teor de gorduras e açúcares, os quais não são necessariamente os melhores apenas por ser chocolate.

Mais estudos são necessários para estabelecer a quantidade ideal de chocolate a ser consumida por semana. Estudos anteriores mostraram diferenças entre o consumo de chocolate e a redução de fatores de risco de AVC em homens e mulheres, porém não foram significativas. Desta forma, não se pode concluir sobre um efeito potencialmente melhor em homens.

Fonte: Larsson SCVirtamo JWolk A.Chocolate consumption and risk of stroke: A prospective cohort of men and meta-analysis. Neurology. 2012 Sep 18;79(12):1223-9. Epub 2012 Aug 29.

Corti R, Flammer AJ, Hollenberg NK, Lüscher TF. Cocoa and Cardiovascular Health. Circulation. 2009; 119: 1433-1441.

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”