Durante séculos, especiarias foram usadas como medicamentos e, atualmente, seu potencial de cura está novamente sendo descoberto e investigado, em especial a curcumina, um ingrediente do conhecido curry. É um produto original da Índia e é comercialmente conhecido como Curcumin C3 Complex®, um extrato com 95% de curcuminoides, diferente dos extratos disponíveis no mercado nacional, que apresentam apenas 0,4%, o que aumenta sua biodisponibilidade. Em estudo publicado recentemente, a curcumina demonstrou ser mais eficaz que medicamentos convencionais no alívio dos sintomas da artrite reumatoide.

A curcumina é derivada da cúrcuma, um membro da família do gengibre. A família do gengibre é composta por mais de 1300 membros e a maioria é considerada planta medicinal, entre elas o açafrão, pimenta e cardamomo.

Estudos sugerem que a curcumina pode ter benefícios em inúmeras patologias, incluindo câncer, problemas de pele (psoríase), doença de Alzheimer, doenças inflamatórias intestinais, doenças auto-imunes e dor crônica.

Dentre as citadas acima, uma doença auto-imune associada a dor crônica é a artrite reumatoide.  Os sintomas mais comuns são dores e danos nas articulações, principalmente nas mãos. É uma condição médica rara, afetando apenas 1% da população, porém, por razão desconhecida, as mulheres são afetadas mais frequentemente que homens.

Antiinflamatórios não-esteroides são normalmente utilizados para combater a dor, mas seu uso a longo prazo pode desencadear consequências como úlceras no estômago e, quando mais grave, hemorragias. Fazer uso de opções mais seguras para alívio da dor e inflamação é necessário para prevenir de possíveis consequências, e a curcumina é uma delas.

Um trabalho sobre a curcumina realizado na Sammons Baylor University Medical Center publicado no Journal Phytotherapy Research em março de 2012, mostrou que o composto foi mais eficaz que o diclofenaco sódico no tratamento da artrite reumatoide, antiinflamatório normalmente utilizado. No estudo 45 pacientes foram divididos em 3 grupos, os quais receberam curcumina (500mg), ou diclofenaco sódico (50mg), ou sua combinação (curcumina 500mg+diclofenaco 50mg). Os primeiros resultados mostraram uma redução na atividade da doença, e, em seguida, apareceram os efeitos de redução na sensibilidade e inchaço nas articulações, independente do tratamento utilizado. Em porcentagem, os indivíduos do grupo que ingeriu somente curcumina mostraram 44% de redução das dores, contra 42% do grupo diclofenaco.

A biodisponibilidade celular de Curcumin C3 Complex® pode melhorar com a associação de outros ativos, como a pimenta preta (Bioperine®). Embora seja um composto seguro podem existir interações medicamentosas ainda não investigadas.

Fonte:

Chandran, B., Goel, A. A Randomizes, Pilot Study to Assess the Efficacy and Safety of Curcumin in Patients with Active Rheumatoid Arthritis. Phytother Res. 2012 Mar 9.

Daily Herald@2012

Wellness Times@2012

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”