Os pacientes obesos submetidos à cirurgia bariátrica para perder peso devem tomar os suplementos prescritos para protegerem seus olhos. O pouco consumo de vitamina A, em particular, pode, em alguns casos realmente causar a cegueira noturna, olhos secos, úlceras de córnea e, em casos extremos, a cegueira total. Este conselho vem de Rui Azevedo Guerreiro e Rui Ribeiro do Centro Hospitalar de Lisboa Central, em Portugal, que revisaram o pouco que a pesquisa atualmente oferece sobre a ocorrência de doenças oculares após a cirurgia bariátrica. A avaliação foi publicada no jornal Obesity Surgery da Springer.

 

Três diferentes tipos de cirurgia bariátrica são realizadas para ajudar na perda de peso em pacientes obesos: restritiva (como bandagem gástrica ajustável e manga gástrica), disabsortivas e procedimentos mistos (incluindo bypass gástrico em Y de Roux e derivação biliopancreática) que combinam os dois primeiros tipos de cirurgias.

 

Um dos inconvenientes dessas operações é que os pacientes podem desenvolver deficiências de nutrientes. Isso acontece, por exemplo, quando os pacientes vomitam com mais frequência, comem menos ou desenvolvem intolerâncias alimentares. As pessoas que fizeram cirurgia bariátrica restritiva, por exemplo, muitas vezes seguem uma dieta desequilibrada que influencia posteriormente a sua ingestão balanceada de vitaminas e micronutrientes. Além disso, cirurgias tipo disabsortivas e mistas diminuem a área da superfície do intestino delgado, que desempenha um papel importante na absorção de nutrientes. Como resultado, muitos poucos micronutrientes e vitaminas podem ser absorvidos adequadamente pelo corpo.

 

Deficiências nutricionais causadas por cirurgias bariátricas podem, em médio e longo prazo, causa complicações oculares relacionadas que podem afetar quase todos os componentes do sistema óptico. Isto pode levar à doenças como a cegueira noturna, úlceras, cicatrizes e alterações na córnea, movimento involuntário dos olhos (chamado nistagmo), paralisia dos músculos dos olhos (oftalmoplegia) ou olhos secos.

 

Azevedo Guerreiro e Ribeiro se preocupam em especial com o consumo inadequado de vitaminas A, E e B1 (tiamina) e de cobre, que ajuda o funcionamento normal do sistema ocular e óptico.

 

A deficiência de vitamina A, em particular, está ligada às complicações relacionadas aos olhos após a cirurgia bariátrica. No entanto, os resultados de um punhado de estudos feitos sobre o assunto são inconsistentes. Em geral, a deficiência de vitamina A e complicações oculares relacionadas parecem ser mais prevalentes após a cirurgia bariátrica disabsortivas.

 

“Há um risco de que os pacientes de cirurgia bariátrica, que não tomam suplementos vitamínicos e minerais, possam desenvolver complicações oculares causadas por deficiências de nutrientes”, enfatiza Azevedo Guerreiro. “Tais complicações não são frequentes, mas, se não detectadas, elas podem ter consequências devastadoras.”

 

“A verdadeira prevalência dessas complicações é desconhecida, mas a raridade de relatórios clínicos que apontam a deficiência de nutrientes com complicações relacionadas com os olhos também pode significar que ninguém está olhando para esses problemas”, acrescenta Ribeiro.

 

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte: http://www.sciencenewsline.com/articles/2014120120190034.html

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”