A prevalência de TDAH é de cerca de 5% em adultos sendo menos sensível a tratamentos em comparação com crianças. Os estimulantes são o tratamento padrão de escolha. Dieta e intervenções nutricionais têm uma longa história na busca de tratamentos alternativos eficazes. Sabe-se que esses tratamentos podem ajudar a:

1. Funcionamento como cofatores para várias vias metabólicas no cérebro;

2. Correção de erros inatos do metabolismo;

3. Melhorando o funcionamento mitocondrial e da membrana;

4. Promovendo o funcionamento saudável gastrointestinal e melhora da absorção de nutrientes.

 

Julia J. Rucklidge, Chris M. Frampton, Brigette Gorman e Anna Boggis da Nova Zelândia relatam os resultados do primeiro duplo-cego, de grupos paralelos RCT planejados para avaliar a eficácia e segurança de uma fórmula de micronutrientes de amplo espectro, EMPowerplus, em comparação com placebo em adultos com TDAH. 80 adultos com TDAH (critérios de reuniões usando Conners Adult ADHD Diagnostic Interview for DSM-IV) foram distribuídos em uma proporção de 1: 1 por 8 semanas de tratamento tanto utilizando micronutrientes quanto placebo. Os participantes não estavam sob uso de psicotrópicos por pelo menos 4 semanas e foram avaliados no início e 1,2,4,6 e 8 semanas.

 

Resultados

Escala própria e de observação avaliadas mostrou benefício significativo com micronutrientes. Clínico avaliado CGI também apresentou melhor resposta no grupo de tratamento ativo. Clínico pela escala Conners não mostrou qualquer benefício significativo.

 

O tamanho do efeito dos benefícios observados é de médio a grande (0,46-0,67). 64% daqueles no grupo de micronutrientes mostrou, pelo menos, 30% de queda em pelo menos uma sub-escala da escala Conners da linha de base em comparação com 37% no grupo placebo. Os micronutrientes não diferiram do placebo em efeitos colaterais.

 

Limitações: Os médicos não observaram diferenças entre os grupos em escalas de avaliação, mas relataram maior funcionamento global. As conclusões sobre a atenção foram variadas. O escore de atenção no grupo de micronutrientes permaneceu elevado. Não foram utilizadas medidas neurocognitivas. O estudo recrutou apenas casos de TDAH não complicados. Dada a inconsistência através das avaliações, um estudo maior é necessário.

 

Conclusão:

O tratamento com micronutrientes parece beneficiar o TDAH em adultos, mas o resultado é modesto em comparação com os ensaios que usam medicamentos.

Traduzido por Essentia Pharma

Fonte:  http://psychiatristupdate.wordpress.com/2014/01/31/is-micronutrient-therapy-effective-in-adhd-br-jl-psy-ahead-of-print-jan-30/

Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da Empresa.