A Suécia tornou-se a primeira nação ocidental a rejeitar o dogma popular da dieta de baixa gordura a favor do aconselhamento nutricional rico em gordura e pobre em carboidratos.

A mudança no aconselhamento dietético ocorreu após a publicação de um estudo independente de dois anos pelo Conselho Sueco de Avaliação de Tecnologias em Saúde (sigla na língua nórdica, SBU). O comitê analisou 16 mil estudos publicados desde 31 de maio de 2013.

 

O médico sueco, Andreas Eenfeldt, que dirige o blog de saúde mais popular da Escandinávia (DietDoctor.com) publicou alguns dos destaques deste estudo:

Os marcadores de saúde melhoram com uma dieta de baixo carboidrato:

“(…) Um maior aumento do colesterol HDL (o “bom colesterol”) sem ter qualquer efeito adverso no colesterol LDL (“colesterol ruim”). Isso se aplica tanto à dieta moderada de baixo carboidrato (menos de 40 por cento do consumo total de energia), bem como para a dieta mais rigorosa de baixo carboidrato (ingestão de carboidratos inferior a 20 por cento do consumo total de energia). Além disso, a dieta mais rigorosa baixa em carboidratos levará a melhores níveis de glicose para os indivíduos com obesidade e diabetes, e marginalmente à diminuição dos níveis de triglicerídeos. “(Fonte).

 

Dr. Eenfeldt também traduziu um artigo de um jornal sueco local que abrange as conclusões do comitê:

Manteiga, azeite, creme de leite, bacon não são alimentos prejudiciais. Muito pelo contrário. A gordura é a melhor coisa para quem quer perder peso. E não há nenhuma conexão entre uma elevada ingestão de gordura e a doença cardiovascular.

 

Na segunda-feira, o SBU soltou uma bomba. Depois de uma longa investigação de dois anos, a revisão de 16.000 estudos, o relatório “Tratamento Dietético para Obesidade” derruba as orientações dietéticas convencionais para as pessoas obesas ou diabéticas.

Por um longo tempo, o sistema de saúde tem dado o conselho público para evitar gordura, em particular a gordura saturada, e calorias. A dieta baixa em carboidratos (LCHF – Low Carb alto teor de gordura, na verdade uma “invenção” sueca) foi colocada como prejudicial e como sendo uma dieta de moda sem qualquer base científica.

Em vez disso, o sistema de saúde, aconselhou aos diabéticos a comer fruta (= açúcar) e produtos de baixo teor de gordura, mas com quantidade considerável de açúcar ou adoçantes artificiais, este último um gatilho perigoso para a pessoa viciada em açúcar.

Este relatório coloca os conceitos atuais de cabeça para baixo e defende um baixo teor de carboidratos juntamente com uma dieta rica em gordura, como a arma mais eficaz contra a obesidade.

 

O comitê de especialistas foi composto por dez médicos sendo que vários deles, no início da investigação, eram céticos sobre as dietas de baixo carboidrato.(Fonte.)

Um dos membros da comissão foi o Prof. Fredrik Nyström, de Linköping, Suécia – um crítico de longa data da dieta de baixa gordura e um defensor dos benefícios da gordura saturada, de fontes como manteiga, creme e bacon. O Prof. Nyström afirmou:

“Eu tenho trabalhado com isso por tanto tempo. É ótimo ter esse relatório científico e ver que o ceticismo, entre meus colegas, desapareceu ao longo do estudo em relação às dietas de baixo carboidrato. Quando todos os estudos científicos recentes ficam alinhados, o resultado é indiscutível: o medo profundo da gordura é completamente infundado. Você não engorda através de alimentos gordurosos, assim como você não fica com aterosclerose por causa de cálcio ou verde por causa de vegetais verdes.”

 

Nyström há muito defende um consumo muito reduzido de alimentos ricos em carboidratos com açúcar e amido, a fim de alcançar níveis saudáveis de insulina, lipídios no sangue e bom colesterol. Isso significa acabar com o açúcar, batatas, massas, arroz, farinha de trigo, pão, e abraçar o azeite, nozes, manteiga, creme, óleo de peixe e carnes mais gordas. “Comer batatas é como comer doces. As batatas contêm unidades de glicose em cadeia, que são convertidas em açúcar no trato gastrointestinal. Isso faz com que o açúcar no sangue e, em seguida, o hormônio insulina, subam rapidamente.”

 

Existem muitos mantras que nos foram ensinados a aceitar como verdades:

“Calorias são calorias, não importa de onde elas venham.”

“Tudo se resume no equilíbrio entre quantas calorias entram e quantas calorias saem.”

“As pessoas são gordas porque não se exercitam o suficiente.”

“O café da manhã é a refeição mais importante do dia.”

 

“É claro que esses mantras são inverdades. Este tipo de absurdo faz com que pessoas com problemas de peso se sintam mal sobre si mesmas. Como se tivesse tudo a ver com seu caráter inferior. Para muitas pessoas uma maior ingestão de gordura significa saciedade, manter-se saciado por mais tempo e com menos necessidade de comer a cada cinco minutos. Por outro lado, você não vai se sentir saciado depois de beber uma Coca-Cola ou depois de tomar um iogurte de frutas sem gordura e carregado em açúcar. Claro, o exercício é importante em muitas maneiras, mas o que realmente afeta o peso é a dieta. “(Fonte).

 

Será que o USDA (órgão regulador americano dos setores de alimentação e agricultura) agora revisará suas normas?

A literatura científica implicando os perigos de carboidratos refinados e os benefícios de gorduras saudáveis existe há décadas. Uma provável razão por que este estudo foi realizado na Suécia é que muitas pessoas obviamente já seguem esta dieta. Atualmente, na Suécia, estima-se que apenas 14 por cento da população seja obesa em comparação com um terço nos EUA.

 

Como já foi assinalado recentemente em um artigo publicado no Health Impact News, o contribuinte está financiando a invasão do agronegócio sobre a nossa alimentação e as diretrizes nutricionais do USDA favorecem as culturas altamente subsidiadas de trigo, soja e milho. No momento as forças políticas são muito fortes nos EUA para permitir que qualquer aconselhamento dietético corte os lucros corporativos e sua produção de alimentos baratos para dominar o abastecimento mundial de alimentos.

Este aconselhamento de uma dieta rica em gordura low-carb é de conhecimento desde 1920, quando a dieta cetogênica foi desenvolvida pelo Hospital John Hopkins para curar a epilepsia em crianças que não respondiam às drogas. Com o advento das orientações de dieta do USDA, começando com o Relatório McGovern em 1970, a gordura foi condenada e os conselhos de dieta de baixa gordura foram promovidos através do sistema de saúde.

 

Em 2002, o jornalista científico Gary Taubes começou a escrever sobre os perigos da dieta rica em carboidratos e os benefícios de uma dieta rica em gordura e seu trabalho foi publicado tanto no N.Y. Times quanto na revista Time. O título do artigo era “E se tudo não passa de uma grande e gorda mentira!” (em inglês, What If It’s All a Big Fat Lie!).

Com a mídia agora cobrindo sobre as falácias da dieta de baixa gordura do início de 2000, a dieta do Dr. Atkins, rica em gorduras e low-carb, e velha conhecida, agora voltou a ganhar atenção. Mas dietas como tal ainda são consideradas “marginais”.

Assim, enquanto a Suécia tenha dado um enorme passo à frente dando atenção à comissão que estudou mais de 16.000 estudos e confirmou o que a ciência já sabia por muitos anos, não espere que o governo dos Estados Unidos faça qualquer coisa semelhante em breve. Você é que precisa fazer sua própria pesquisa para entender os fatos reais sobre uma dieta saudável.

 

Traduzido por Essentia Pharma

Autor: Brian Shilhavy

FONTE: http://healthimpactnews.com/2013/sweden-becomes-first-western-nation-to-reject-low-fat-diet-dogma-in-favor-of-low-carb-high-fat-nutrition/

Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da Empresa.