Será que antioxidantes podem beneficiar pessoas com diabetes?

Os alimentos que ingerimos contêm nutrientes, incluindo carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Destes nutrientes, as células do corpo utilizam a glicose para a produção de energia. O mecanismo pelo qual as células do nosso corpo transformam glicose em energia é altamente dependente do hormônio insulina, o qual leva a glicose para a célula. Sem insulina, a captação da glicose de entrar nas células fica restrita, impedindo seu uso como fonte de energia e aumentando a quantidade de glicose na corrente sanguínea. O colapso desse mecanismo leva ao diabetes.

Indivíduos podem desenvolver diabetes tipo 2 devido a suas escolhas de estilo de vida. Geralmente a condição se manifesta após os 40 anos de idade. Aqueles com diabetes tipo 2 têm uma resposta reduzida à ação do hormônio insulina, tornando-o ineficaz para a captação de glicose. A quantidade de glicose presente na corrente sanguínea pode ser tão alta que pode resultar em complicações vasculares. Um exame de sangue com hemoglobina glicosilada pode ser feito para identificar se uma pessoa é suscetível a essas complicações. Com tratamento adequado e mudança de estilo de vida ativa, um indivíduo pode reverter alguns dos efeitos nocivos e causas do diabetes tipo 2.

Com este pano de fundo, Maria E. Balbi e colegas procuraram determinar se o uso de antioxidantes a partir de suplementos vitamínicos possui um efeito benéfico sobre o manejo dietético do diabetes tipo 2. Para isto, os pesquisadores fizeram uma revisão sistemática da pesquisa disponível com uma meta-análise dos dados combinados. As fontes de seus dados foram PubMed, Scopus e Web of Science. Trinta ensaios publicados antes de dezembro de 2017 foram levados em consideração para este experimento. Os resultados foram publicados recentemente na revista Diabetology & Metabolic Syndrome.

A meta-análise avaliou os efeitos das vitaminas B, C, D e E. O resultado primário que os pesquisadores procuraram foi a capacidade dos suplementos vitamínicos para reduzir o estresse oxidativo e aumentar os níveis de antioxidantes no organismo. O aumento de antioxidantes foi medido pela observação de reações bioquímicas, como a redução do malondialdeído (MDA) no organismo, bem como o aumento da glutationa peroxidase (GPx). Os pesquisadores também analisaram quaisquer diferenças observadas na capacidade antioxidante total e certificaram-se de detectar qualquer aumento da enzima superóxido dismutase (SOD). Além disso, eles inspecionaram aumentos nas substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS). O objetivo que pretendiam alcançar era um nível constante do índice glicêmico dos pacientes.

Os resultados deste experimento revelaram que, entre as vitaminas analisadas, a ingestão de vitamina E mostrou uma redução significativa na glicemia e no controle do índice glicêmico nos indivíduos. Além da vitamina E, a vitamina C também se mostrou promissora na redução de MDA e TBARS, além de aumentar os níveis de GPx, SOD e capacidade antioxidante total.

O estudo concluiu que a vitamina E pode ser uma vitamina benéfica a ser considerada para melhores resultados no diabetes tipo 2, pois pode fornecer uma importante atividade antioxidante e prevenir complicações do diabetes. Mais pesquisas nesta área podem ser benéficas para explorar outras vantagens de maior ingestão de antioxidantes através de suplementos vitamínicos.

Traduzido e adaptado por Essentia: https://www.medicalnewsbulletin.com/antioxidants-vitamin-supplements-help-diabetes/
Leia mais

Estudo: zinco e multivitaminas podem ajudar no ganho de estatura em crianças

O zinco e múltiplas vitaminas, além de essenciais para muitos processos biológicos, são essenciais para o ganho de estatura durante a infância. A deficiência de zinco é um problema global e, neste quesito, a Tailândia, local do estudo, apresenta um risco de nível médio, o que significa mais de 40%. Mesmo sabendo da sua importância durante o período de crescimento físico, estudos passados apresentavam resultados um pouco inconsistentes.  
Leia mais

Estudo: A vitamina C e o manganês na proteção contra a catarata nuclear

A catarata acontece em consequência da alteração ou envelhecimento do cristalino, uma das principais lentes do olho (situada atrás da íris) onde a imagem é focalizada. Com o avançar da idade – geralmente a partir de 50 anos -, essa lente se empalidece dificultando a entrada da luz até a retina e, com a progressão da condição pode resultar em cegueira. Mas, a catarata também pode ocorrer devido a outros fatores, como inflamação intraocular, exposição à radiação, deficiência hereditária, diabetes, um trauma ocular ou uso de medicamentos corticoides. Dependendo da área do cristalino atingida, a condição pode ser classificada em: cortical, nuclear e sub-capsular posterior.
Leia mais

A vitamina C pode reduzir os danos causados pela privação do sono na memória espacial

Um novo estudo publicado em abril de 2015 relata que modelos experimentais sugerem que a suplementação de vitamina C pode prevenir o comprometimento da memória espacial induzida pela privação crônica de sono. Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (abreviação em inglês, CDC) dos EUA indicam que um número estimado de 50 milhões de adultos norte-americanos têm distúrbios do sono ou de vigília. A insuficiência de sono está ligada a acidentes de veículos motorizados, catástrofes industriais e erros durante a jornada de trabalho, bem como aumento do risco de doenças crônicas, incluindo câncer, hipertensão, diabetes e depressão.
Leia mais

Ingestão de polivitamínico diariamente ajuda a afastar câncer em homens

A ingestão de um polivitamínico diário pode reduzir as chances de desenvolver câncer em homens de 50 anos ou mais, e parece não ter efeitos colaterais graves, segundo estudo realizado em larga escala. O efeito protetor oferecido pelas cápsulas diárias foi considerado “modesto” pelos pesquisadores, uma vez que seu uso durante o estudo foi apenas para evitar deficiências nutricionais.

Leia mais