Idosos com níveis maiores de vitamina E no sangue são menos propensos a sofrer de problemas de memória comparados àqueles com níveis mais baixos, de acordo com um estudo publicado recentemente. Os pesquisadores concluíram que as diferentes formas de vitamina E parecem desempenhar um papel importante nos processos de formação da memória.

O estudo publicado recentemente na Experimental Gerontology mostrou que a relação entre a vitamina E e distúrbios de memória geralmente são focados em uma única forma da vitamina: a alfa-tocoferol, amplamente utilizada em suplementos comumente vendidos. Acontece que na natureza, a vitamina E existe em 8 diferentes formas naturais, os tocoferóis e os tocotrienóis, ambos com propriedades específicas.

A pesquisa envolveu mais de 140 finlandeses com 65 anos de idade, que não apresentavam falhas na memória no início do estudo. Durante os oito anos de seguimento, os pesquisadores notaram que níveis mais elevados de diferentes formas da vitamina E (gama- tocoferol, beta-tocotrienol e tocotrienóis totais) pareceram mostrar seu papel no processo de formação da memória.

Fonte:

Mangialasche F, Solomon A, Kåreholt I, Hooshmand B, Cecchetti R, Fratiglioni L, Soininen H, Laatikainen T, Mecocci P, Kivipelto M. Serum levels of vitamin E forms and risk of cognitive impairment in a Finnish cohort of older adults. Experimental Gerontology, 2013; 48 (12): 1428

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”