CHICAGO (21 de abril de 2017) – Um rigoroso e novo documento científico de revisão sistemática sobre a segurança do consumo de cafeína confirma os resultados de uma revisão canadense de 2003, amplamente citada, que concluiu que os efeitos adversos para a saúde não foram associados aos níveis de ingestão do estimulante quando em doses ≤ 400 mg/dia para adultos (o equivalente a cerca de 4 xícaras de café/dia – 90% dos americanos geralmente consomem menos do que esta quantidade), ≥ 300 mg/dia para gestantes e ≤ 2,5 mg/kg (dia) para crianças e adolescentes. Essas descobertas foram publicadas em Food and Chemical Toxicology.

 

Desde 2003, mais de 10.000 artigos foram publicados relacionados à cafeína, mas ainda não havia uma avaliação robusta, transparente e sistemática, revisada por pares, dos efeitos na saúde associados ao seu consumo. Por este motivo, a ILSI North America* decidiu encomendar uma revisão sistemática dos dados publicados de 2001 a 2015.

 

Os pesquisadores que realizaram a revisão concluíram que os níveis previamente definidos de ingestão de cafeína para o consumidor saudável não foram associados a efeitos adversos, o que indica a necessidade de pesquisas futuras para populações não saudáveis, populações sensíveis e variabilidade interindividual.

 

“Esta revisão sistemática fornece evidências que promovem a nossa compreensão da cafeína na saúde humana”, afirmou o Dr. Eric Hentges, Diretor Executivo da ILSI North America. “Além disso, esta revisão fornece à comunidade de pesquisa dados e evidências valiosos para apoiar o desenvolvimento e a execução de pesquisas futuras sobre a segurança da cafeína que irão afetar a saúde pública. A transparência completa com a qual os dados foram compartilhados encorajará outros pesquisadores a desenvolver seus trabalhos a partir desta revisão.”

 

Utilizando-se de padrões definidos pela Academia Nacional de Ciências (EUA), os pesquisadores analisaram criticamente mais de 740 estudos para avaliar os resultados adversos de saúde relacionados à cafeína em cinco áreas: toxicidade aguda, ossos/cálcio, cardiovascular, comportamento, reprodução/desenvolvimento. A equipe de pesquisa consistiu em oito cientistas da ToxStrategies, uma empresa de consultoria privada que presta serviços de toxicologia e questões de avaliação de risco para organizações privadas e públicas, bem como sete membros independentes do Conselho Científico Consultivo (SAB, Scientific Advisory Board) com conhecimentos diversos nas áreas de foco do estudo.

 

Todos os dados relacionados à revisão e classificação da literatura que foram incluídos e excluídos estão publicamente disponíveis no Repositório de Dados de Revisão Sistemática da Agência de Saúde e Pesquisa (AHRQ, Agency for Healthcare and Research Quality). Os protocolos para cada resultado de saúde estão disponíveis publicamente no registro PROSPERO para Revisões Sistemáticas.

 

Esta Revisão Sistemática foi financiada principalmente pela ILSI North America. O restante do financiamento veio de bolsas não restritas da American Beverage Association (ABA) e da National Coffee Association (NCA).

 

*N.daT.: ILSI North America é uma organização científica, pública, sem fins lucrativos, que reúne cientistas do governo, da academia e da indústria para trabalhar em cooperação e com responsabilidade compartilhada para promover a compreensão e aplicação da ciência em prol da saúde pública.

 

Traduzido por Essentia Pharma

 

Referências no artigo original: https://www.eurekalert.org/pub_releases/2017-04/fl-src042017.php

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”