A adição de suplementos de vitamina D a medicação para a asma padrão pode levar a menos ataques de asma grave em pacientes com asma leve a moderada, de acordo com uma nova revisão Cochrane.

 

As conclusões da revisão foram apresentados na European Respiratory Society Congresso Internacional de 2016.

 

A revisão avaliou nove duplo-cego, controlados por placebo, que envolveu 435 crianças e 658 adultos com predominantemente asma leve a moderada.

 

Suplementos Orais de vitamina D₃

 

A suplementação oral de vitamina D₃ (colecalciferol) foi administrada durante 4 a 12 meses, variando de doses 500-1200 UI / dia, para a dosagem semanal, mensal, ou duas vezes por mês.

 

Em geral, a suplementação foi associada com uma redução significativa na taxa de exacerbação de asma tratados com corticosteróides sistémicos (relação da taxa, 0,63), o que significa que o número médio de ataques diminuiu anuais 0,44-0,22 por pessoa. No entanto, esta conclusão foi baseada principalmente em dados de adultos e não devem ser generalizados para populações pediátricas, aponta Dr. Martineau.

 

A suplementação também diminuiu o risco de exacerbações que requerem hospitalização ou uma visita ao departamento de emergência de seis a cerca de três por 100 pacientes (odds ratio, 0,39).

 

Mas a vitamina D teve pouco ou nenhum efeito sobre a função pulmonar ou sobre os sintomas do dia-a-dia da asma, e não aumentam o risco de eventos adversos graves.

 

“O que não sabemos é se os benefícios da vitamina D eram restritas apenas para pacientes deficientes de vitamina D ou se eles foram experimentados por todos, independentemente do seu estado inicial”, explicou o Dr. Martineau.

 

análises de subgrupos estão sendo realizados para responder a essa pergunta.

 

De acordo com a avaliação, estima-se que cerca de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo têm níveis de vitamina D abaixo de 75 nmol / L, que é geralmente considerado insuficiente; níveis abaixo de 50 nmol / L são considerados deficiente.

 

Em uma grande proporção dos participantes do estudo, os níveis de vitamina D foram deficiente ou insuficiente, com linha de base de concentração mediana de 25-hidroxivitamina D variando 48-89 nmol / L. Em uma pequena minoria de participantes, os níveis estavam abaixo de 25 nmol / L, o que é considerado ser profundamente deficientes.

 

“No contexto de outros estudos de vitamina D, os benefícios da suplementação tendem a ser mais forte em pessoas com níveis mais baixos”, disse o Dr. Martineau. “Nossa hipótese é que os efeitos mais acentuados podem ser vistos em pessoas com níveis mais baixos.”

 

A vitamina D tem um efeito anti-inflamatório nos pulmões e induz mecanismos antimicrobianos inatas, explicou.

 

“Os dados são muito bons para adultos, mas não há nenhuma evidência nesta revisão que a vitamina D tem esse efeito sobre as crianças”, disse Fernando Martinez, MD, diretor do Centro Respiratório Arizona na Universidade do Arizona, em Tucson.

 

“Eu suspeito que ele faz, mas deve ser encarado separadamente, de modo que estamos baseando nossas recomendações em dados”, disse à Medscape Medical News.

 

“Eu acho que a associação está lá. Neste ponto, seria perfeitamente legítimo para clínicos gerais, pediatras e pneumologistas que estão a seguir as pessoas com asma para colocá-los todos em 500 a 1000 unidades de vitamina D por dia”, acrescentou .

 

“Para os adultos que têm exacerbações persistentes, medindo os níveis de vitamina D também seria justificado, e se eles têm níveis baixos, você poderia dar-lhes ainda mais”, disse Martinez.

 

“Em crianças, uma vez que para medi-la você tem que picar a criança, gostaria de sugerir para esperar por mais dados. Estou bastante convencido de que vai ser assim, mas eu não estou disposto a sugerir um teste específico para crianças sem ter dados. Ainda assim, a suplementação sem testes é bom. ”

Traduzido por Essentia Pharma

 

Fonte:http://www.medscape.com/viewarticle/868575?src=soc_fb_160915-am_mscpedt_news_pharm

 

“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essentia.”